Oposição: perdendo força

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/02/2017 às 00:34:00

Rita Oliveira

 

Oposição: perdendo força

 

A oposição em Sergipe se resume hoje aos senadores Antônio Carlos Valadares (PSB) e Eduardo Amorim (PSDB), aos deputados federais André Moura (PSC) e Valadares Filho (PSB), e ao deputado estadual Georgeo Passos (PTC). Esses cinco são os que fazem uma oposição acirrada contra o governador Jackson Barreto (PMDB).

 Sempre esses parlamentares usam as redes sociais ou concedem entrevistas com críticas ao governo. Há também discursos na tribuna da Assembleia Legislativa, Câmara Federal e Senado contra a gestão de JB.

 No ano passado, os deputados federais e senadores pediram ao tribunal de Contas da União (TCU) e Controladoria Geral do Estado (CGU) uma auditoria nos recursos do Proinveste. Ontem, Valadares, Amorim, Valadares Filho e Georgeo Passos protocolaram no Tribunal de Contas do Estado (TCE) pedido de auditoria na Fundação Hospitalar de Saúde (FHS).

 Na reunião com o presidente do TCE, Clovis Barbosa, os parlamentares da oposição justificaram o pedido de auditoria sob a alegação de suspeitas de irregularidades em cargos empregatícios e falta de transparência na conduta da Saúde de Sergipe.

 Com o governo Michel Temer, a oposição também quer medir forças com Jackson que foi contrário ao impeachment de Dilma Rousseff. Se esforça para querer demonstrar que tem mais prestigio político em Brasília que o governador, no que diz respeito a pleitos atendidos junto aos ministérios.

 Essa oposição de Sergipe - resumida a cinco parlamentares, uma vez que JB conseguiu atrair para a base governista vários deputados e prefeitos eleitos – pode perder força política ainda mais até o carnaval. É que dois grandes opositores podem diminuir o poder de fogo.

 O senador Valadares caminha para perder a liderança da bancada federal, uma vez que o governador já conseguiu a maioria da bancada com o apoio do deputado federal Laércio Oliveira (SD) e da senadora Maria do Carmo (DEM). Hoje ele tem o apoio de seis dos 11 parlamentares e Laércio pode ser o próximo coordenador.

 Já André Moura esta sob ameaça de perder, ainda nesta semana, o cargo de líder do governo na Câmara por pressão do presidente reeleito da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), junto ao presidente Temer. O nome para substituí-lo é o do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), que também é cotado para assumir o Ministério da Saúde.

 Se for confirmada a saída de Valadares da coordenação da bancada federal e de André Moura da liderança do governo, não precisa dizer que o governador Jackson Barreto vai rir à toa...

 ..................................................................................

 Campo neutro

Oposição e situação se encontram hoje no Ministério da Integração Nacional, quando o ministro Helder Barbalho vai anunciar medidas de combate à seca em 28 municípios de Sergipe que se encontram em estado de emergência. Esse encontro seria o mesmo que os senadores Valadares (PSB) e Eduardo Amorim (PSDB) queriam que acontecesse na sede da Codevasf em Sergipe e o governador Jackson Barreto (PMDB) disse que só iria para a assinatura de convênio se fosse no Palácio de Despachos, por ser a Casa adequada para atos de governo.

 

Ponto de vista

O ex-prefeito e ex-deputado federal Heleno Silva (PRB) disse ao governador Jackson Barreto que esta desconfiado que o ministro vai anunciar “ações pífias” para o sertão sergipano, cujo povo e o gado vem sofrendo com a seca. “Estou desconfiado que será mais uma enrolação do governo federal  e se realmente for vou protestar na hora. Já preveni o governador sobre isso”, disse o ex-prefeito de Canindé do São Francisco.

 

Posse

Heleno Silva assumirá o comando do Escritório de Representação de Sergipe em Brasília logo após o evento no Ministério da Integração Nacional. Sairá de lá junto com o governador direto para a posse, que já tem presença confirmada do presidente da Assembleia, Luciano Bispo (PMDB), dos deputados federais Jony Marcos (PRB) e Fábio Mitidieri (PSD), do deputado estadual Robson Viana (PEN) e deputados federais do seu partido.

 

Em outro ministério

À tarde, Heleno também acompanha o governador na ida ao Ministério dos Transportes, oportunidade que o ministro Maurício Quintela vai realizar um ato de autorização para o reinício das obras de duplicação da BR 101, em Sergipe.  Oposição e situação vão se encontrar de novo.

 

Na berlinda 1

Nesse último final de semana e ontem a mídia nacional noticiou muito a possibilidade de saída do deputado federal André Moura (PSC) da liderança do governo na Câmara dos Deputados. Ontem, a Globo News informou que o presidente eleito Rodrigo Maia (DEM-RJ) e aliados pressionam Michel Temer para tirar André da liderança por ter trabalhado até o último momento para levar a eleição da Câmara no segundo turno e o nome de Jovair Arantes (PTB-GO), além de ter tentado inflar a candidatura própria do PT, que acabou apoiando um candidato do PDT.

 

Na berlinda 2

Noticiou ainda a Globo News que Maia e aliados alegam ainda que quando André Moura foi indicado para a vaga representava uma candidatura do Centrão, com cerca de 300 deputados comandados pelo então presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que teve o mandato cassado e encontra-se preso pelo seu envolvimento na Lava Jato.  Ressaltou que o endurecimento sobre a saída do parlamentar sergipano da liderança do governo se consolidou com a eleição de Rodrigo Maia sobe Jovair Arantes, que era o candidato do Centrão.

 

Reconhecimento público

 A Globo News reconheceu ontem que como líder do governo, André aprovou votações importantes na Câmara e Temer não se podia dizer prejudicado.  “Mas como não se bica com o presidente da Câmara e o Centrão esta desidratado com a reeleição de Rodrigo Maia, não faria mais sentido manter o deputado como líder”, disse a jornalista da emissora.

 

Provável sucessor

 A matéria ressaltou que o nome para a liderança do governo é o do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), que considerou habilidoso e que como ex-ministro das Cidades e Saúde no governo Dilma Rousseff tem trânsito com “poderosos da situação e oposição”.  O parlamentar tem o apoio do PSDB e do presidente da Câmara. A coluna divulgou na semana passada, com exclusividade, que o nome de Aguinaldo estava sendo cogitado para suceder André na liderança do governo.

 

Pressão forte

 A Globo News finalizou dizendo que como Temer quer aprovar a pauta prioritária este ano, que é a Reforma da Previdência, está discutindo o assunto sobre a decisão a tomar ainda esta semana sobre a liderança do governo. E que está grande a pressão para trocar de líder, para manter a base aliada unificada e mais alinhada ao Planalto. 

 

Nas redes sociais 1

Ontem o senador Valadares ((PSB) voltou a alfinetar o governador Jackson Barreto pelo fato de vir atraindo lideranças da oposição para a base governista: “JB pra mudar o foco da baixíssima impopularidade e passar a imagem de forte com a máquina do Estado, atrai fisiológicos e corporativistas”.

 

Nas redes sociais 2

 Prosseguiu o senador: “Sergipe arrasado, mas oferta de CCs pra apoio político no Estado e na PMA é usada como arma pra fragilizar oposição. O povo foi consultado? Quem paga essa conta? A sociedade, com saúde precária, com educação fragilizada, e com insegurança e mortes de inocentes. Até quando Sergipe?”.

 

Alfinetando Valadares

 Ontem, à coluna, um aliado do governador Jackson Barreto questionou Valadares sobre suas críticas com relação aos CCs do Estado. Lembrou que quando o senador era aliado do governo foi o político que mais indicou cargos comissionados no estado e agora, com a indicação da presidência nacional da Codevasf, nomeou em cargos comissionados, cunhado, filhos de ex-prefeitos e ex-secretários, assim como um ex-vereador com altos cargos comissionados. Disse que tem o nome de todos os nomeados, mediante publicação no Diário Oficial da União, e muitos CCS são com valores que variam de R$ 14 mil a R$ 16 mil.

 

Na UFS

 No próximo dia 20 de fevereiro acontecerá uma Mesa Redonda com o tema "Responsáveis por violações de direitos humanos durante o regime militar em Sergipe: quem são, onde estão, o que fazem, o que fazer com eles?”. O evento terá como debatedores: Célia Cardoso e Fernando Sá (Professores do Departamento de História da UFS), Carlos Alberto Menezes e Elias Pinho (Professor de Direito Penal da UFS e Promotor Público Estadual) e Milton Coelho e Marcélio Bonfim (Militantes Políticos). O organizador é o professor José Afonso do Nascimento, do DDI. A Mesa Redonda acontecerá às 16h30, no Auditório da Reitoria da UFS, e tem como público alvo: estudantes, professores e sociedade sergipana.

 

 Veja essa...

A mídia nacional vem noticiando que o Centrão, que representava cerca de 300 deputados na Câmara dos Deputados, se “desidratou” nos últimos meses com a cassação do mandato e prisão do então presidente da Câmara, Eduardo Cunha. E que o Centrão virou “Centrinho”, por ter recebido pouco mais de 100 votos na eleição da Câmara com a candidatura de Jovair Antunes.

 

 

CURTAS

 

Deu no jornal O Globo: “Ao encontrar o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) em Brasília, o ex-prefeito de Aracaju, João Alves, perguntou pelo pai do tucano, o político Ronaldo Cunha Lima. Aos 75 anos, João Alves esqueceu que Ronaldo faleceu em 2012 e pediu para Cássio marcar um encontro entre os dois. A resposta do senador foi lacônica: Melhor não!”.

 

O governador Jackson Barreto, o vice Belivaldo Chagas e o prefeito Edvaldo Nogueira prestigiaram os aliados, os pastores Jony Marcos e Heleno Silva, no culto especial promovido no último domingo pela Igreja Universal do Reino de Deus, em comemoração ao lançamento da pedra fundamental da nova catedral, que será construída ao lado do Terminal de Integração do Distrito Industrial de Aracaju.

 

O atual ministro Alexandre de Moraes (Justiça) foi indicado ontem pelo presidente Michel Temer para substituir no STF o ministro Teori Zavascki, que morreu recentemente em um acidente aéreo em Paraty (RJ). Para assumir a vaga, ele precisa antes ser sabatinado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e, depois, aprovado pelos senadores.

 

O ministro Moraes esteve na semana passada em Aracaju, onde lançou, no Palácio de Despachos, o Plano Nacional de Segurança Pública. Aracaju é uma das três capitais contemplada pelo PNS nesta primeira etapa.

---------------------------------------------- 

Indiferente às especulações na mídia nacional sobre sua saída da liderança do Governo na Câmara, André Moura (PSC/SE), acompanhado do diretor da Federação Interestadual dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão (Fitert),  José Antônio de Jesus, se reuniu ontem com o ministro do Trabalho e Emprego, Ronaldo Nogueira, onde trataram de uma extensa pauta sindical. Para André, a renovação do pedido de registro sindical pleiteado pelo Federação é justa em reconhecimento ao trabalho realizado pela entidade.