Estado garante recursos para atender sertanejos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/02/2017 às 07:56:00

Ao defender os interesses dos municípios que estão sendo afetados pela seca no Ministério da Integração Nacional, em Brasília, na manhã desta terça-feira, 7, o governador Jackson Barreto foi o único orador aplaudido, e por duas vezes, em meio a sua fala.

Na defesa dos municípios, o governador pediu a ampliação, de forma emergencial, da oferta de água para atender ao povo do interior do estado que sofre com a seca, tanto para os municípios que recebem a Operação Carro-pipa do governo federal de forma insuficiente, como para aqueles que já estão em estado de emergência, mas ainda não recebem a água. Esse foi o tom da fala de Jackson Barreto na cerimônia de anúncio, que o Ministério da Integração realizou para informar as ações integradas que serão realizadas, em conjunto com o Governo do Estado de Sergipe, para minorar o sofrimento com a seca.

O governador Jackson Barreto deu o tom da reunião ao colocar na pauta de discussão os problemas enfrentados pela escassez de água nos municípios atingidos pela seca e que estão em estado de emergência.

“Temos que reconhecer o esforço, mas é preciso que o Ministério da Integração compreenda que a oferta de água levada ao nosso estado para atender as populações que sofrem com a seca está muito aquém das necessidades da população. Minha fala nesta reunião é de agradecimento, sim, mas também de cobrança, de forma muito clara, da nossa preocupação. Agora, já são 30 municípios em estado de emergência e é necessário ampliar a Operação Carro-pipa. Esperança, nós temos. Acreditamos na capacidade e competência do ministro da Integração Helder Barbalho e de sua equipe, mas não poderia deixar de fazer um depoimento sincero sobre a realidade do nosso estado”, disse o governador Jackson Barreto, que recebeu muitos aplausos dos prefeitos, independente das siglas partidárias, e parlamentares presentes na reunião, quando fez a defesa contundente do povo do sertão.

Na reunião de trabalho ficou definido que 28 municípios sergipanos em estado de emergência, já reconhecidos pelo Ministério da Integração, por conta da seca, receberão auxílio dos governos federal e estadual. Mais dois serão encaminhados em breve para o ministério, completando os 30 municípios. Na sequência, o ministro da Integração, Helder Barbalho, anunciou oficialmente - já que o anúncio formal já tinha sido feito pelo próprio presidente Michel Temer ao governador - a liberação de R$ 7 milhões em ações com o objetivo de minimizar os efeitos da estiagem. Os recursos serão utilizados na distribuição de material forrageiro, que alimenta o gado, e o Ministério comunicou, também, que ampliará a oferta de água por meio da Operação Carro-Pipa.

Desde agosto de 2016, o governador Jackson Barreto vem reunindo-se com prefeitos dos municípios afetados pela seca, com o Exército, responsável pela Operação Carro-Pipa do Governo Federal, e com o Ministério da Integração, buscando auxílio.

Em janeiro deste ano, Jackson esteve com o ministro em duas audiências, quando solicitou a ampliação da Operação Caminhão-Pipa para todos os municípios em estado de emergência e demais ações. Há cinco meses, o próprio presidente Michel Temer comunicou ao governador que liberaria R$ 10 milhões para essas ações. Desses, R$3 milhões já foram liberados e agora os R$ 7 milhões restantes irão ser liberados para compra de material forrageiro para alimentar os rebanhos dos pequenos produtores rurais.

“Neste momento, estamos precisando de água. Viemos aqui para denunciar o sofrimento do povo do sertão. Queremos mais compromisso social com Sergipe e nosso povo. Solicito o envio de uma equipe do Ministério para verificar a situação do nosso sertão e semiárido. São 30 municípios em estado de emergência. Nossa maior reivindicação é ampliar a oferta de água por meio de carros-pipa”, explicou.

O governador lembrou ao ministro Helder Barbalho que o Governo Federal colocou R$ 10 milhões a disposição do Estado. Desse total, foram R$3 milhões para a adutora do São Francisco; R$7 milhões para comprar material forrageiro, para atender o agricultor familiar, aqueles que mais precisam da ação do governo, com o objetivo de manter o mínimo da produção agrícola e da bacia leiteira.

"O senhor é testemunha de quantas vezes viemos aqui para buscar recursos para combater os efeitos da seca. Já são quase seis meses nessa caminhada. É preciso lembrar que tínhamos 11 municípios e hoje estamos com 28 reconhecidos e mais dois em fase de decretação de emergência. É preciso rediscutir essa questão e ampliar a quantidade de água ofertada pelos caminhões-pipa. O que o Exército está levando para nosso estado é irrisório. Encerro minhas palavras agradecendo ao trabalho do Ministério, mas dizer que um cidadão pode passar um dia com 20 litros de água, é não conhecer nossa realidade”, denunciou o governador.

Os municípios afetados pela estiagem e já reconhecidos pelo Governo Federal são: Nossa Senhora da Glória, Pinhão, Carira, Graccho Cardoso, Itabi, Macambira, Frei Paulo, Nossa Senhora Aparecida, Ribeirópolis, Cedro de São João, Propriá, Telha, Porto da Folha, Simão Dias, Poço Verde, Moita Bonita, São Miguel do Aleixo, Nossa Senhora de Lourdes, Poço Redondo, Gararu, Feira Nova, Cumbe, Canindé de São Francisco, Pedra Mole, Canhoba, Aquidabã, Monte Alegre de Sergipe, Nossa Senhora das Dores. Tobias Barreto e Japoatã já foram reconhecidos pelo Governo do estado, mas aguardam o decreto do Governo Federal.