Prefeitura discute com servidores em greve sobre salários de dezembro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 09/02/2017 às 07:35:00

A Prefeitura de Aracaju acatou boa parte das reivindicações das categorias de servidores, que estão paralisadas, em relação à proposta de pagamento dos salários de dezembro, via empréstimo consignado. Em reunião com o secretário da Saúde, André Sotero, e com todos os sindicatos da área, na manhã desta quarta-feira (8), o secretário da Fazenda, Jefferson Passos, reforçou que não haverá qualquer tipo de prejuízo para o servidor, que terá acesso a uma linha de crédito correspondente ao valor integral do seu salário.

A reunião teve como objetivo reforçar o diálogo entre a administração do prefeito Edvaldo Nogueira e os representantes sindicais, com o objetivo de por fim ao movimento grevista que vem penalizando os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) há 15 dias.

Foi acatada pela gestão municipal a contraproposta de que os servidores que não possuírem contas na Caixa Econômica Federal e no Banco do Estado de Sergipe (Banese) não precisarão fazer a portabilidade bancária para acessar a linha de crédito. Estes funcionários, que possuem contas em outros bancos, terão direito a realizar a operação de crédito no Banese, sem precisar abrir uma conta ou realizar portabilidade.

“Iniciamos uma negociação com o Banese, que aceitou fazer as operações tanto de quem já recebe por lá como de quem não recebe, exceto os que já têm a sua conta-salário na Caixa. Demos essa garantia”, explicou Jefferson Passos.

Outra demanda dos sindicatos que foi atendida pela prefeitura diz respeito a eventual atraso no pagamento da parcela ao banco. “A segunda garantia solicitada é de que a Prefeitura assuma eventuais encargos financeiros caso haja atraso no pagamento dos empréstimos. Nós nos comprometemos de que encaminharemos um dispositivo no projeto de lei prevendo esta situação. Sou categórico em afirmar que não haverá atraso algum, pois vamos priorizar este pagamento, mas como os sindicatos queriam uma garantia formal, concordamos”, esclareceu o secretário da Fazenda.

De mesmo modo, o representante do governo municipal prestou outros esclarecimentos aos servidores. Um deles diz respeito ao valor do empréstimo, que será o salário líquido acrescido dos encargos. A exceção disso ficará para aqueles funcionários públicos da prefeitura que recebem as férias junto ao salário de dezembro. Para estes, o empréstimo englobará tanto o vencimento líquido quanto os encargos e o valor das férias, que também não foram pagas pela gestão passada.

Participaram da reunião os sindicatos dos médicos, enfermeiros, odontólogos, agentes de Saúde e Endemias, psicólogos, assistentes sociais e fisioterapeutas.

Os médicos não aceitaram a proposta e continuam em greve.