A destituição de Valadares

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 09/02/2017 às 07:38:00

Rita Oliveira – 

 

A destituição de Valadares

 

O governador Jackson Barreto (PMDB) não ficou nada satisfeito com a atuação do coordenador da bancada federal de Sergipe, senador Antônio Carlos Valadares (PSB), no processo de condução das emendas coletivas do Orçamento Geral da União do exercício de 2017.

Isso porque o senador articulou como emendas impositivas os R$ 100 milhões para a Codevasf nacional e R$ 124,6 milhões para apoio à Política Nacional de Desenvolvimento Urbano em Aracaju. Nenhuma das duas foi proposta pelo Governo de Sergipe.

O que chateou ainda mais o governador e alguns aliados foi Valadares ter remanejado R$ 30 milhões de emenda destinada a Infraero - para obras do Aeroporto de Aracaju - para o Hospital do Câncer. A chateação não foi pela destinação de recursos ao hospital, mas porque o senador não teve uma conversa com a bancada sobre o remanejamento que poderia ter sido de outra emenda que não fosse da Infraero.

Na época, o deputado federal Jony Marcos (PRB) se desentendeu com Valadares por conta disso. Jony chegou a sair com uma nota pedindo ao senador que entendesse que como membro da bancada sergipana cobrava um direito de saber de qualquer mudança no que ficou acordado sobre a definição das emendas e que gostaria de ter assinado a ata com a transferência de recursos. Chegou a pedir a Valadares que “parasse de agir de forma autoritária”.

A insatisfação política do governador com o ex-aliado só aumentou após o resultado das eleições em Aracaju com a derrota de Valadares Filho (PSB), que levou o senador a criticar quase que diariamente o governo e o próprio Jackson.

Ao conquistar recentemente a maioria da bancada federal, com a adesão ao governo do deputado federal Laércio Oliveira (SD) e da senadora Maria do Carmo Alves (DEM), JB começou a articular a retirada de Valadares da coordenação da bancada.

Na terça-feira, em Brasília - durante café da manhã de Jackson com os cinco deputados federais aliados Fábio Reis (PMDB), Fábio Mitidieri (SD), Jony Marcos (PRB), João Daniel (PT) e a grande conquista Laércio Oliveira (SD) - ficou acordado que Laércio seria o novo coordenador da bancada, como a coluna já vinha noticiando.

Na tarde de ontem os cinco deputados e a senadora Maria do Carmo assinaram documento escolhendo Laércio como o coordenador da bancada em substituição a Valadares. A reunião que destitui Valadares do cargo que ocupa há anos aconteceu no gabinete de Maria do Carmo.

Vai começar uma nova briga entre a bancada governista e de oposição, que diz que para Valadares ser destituído do cargo de coordenador da bancada precisa haver maioria dos votos dos deputados e dos senadores.

...................................................................................

Batendo o martelo

Foi durante o café da manhã da última terça-feira, em Brasília, do governador Jackson Barreto (PMDB) com os cinco deputados federais aliados que ficou acordado que seria ontem a reunião da bancada  que destituiria o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) do cargo de coordenador da bancada federal.

 

Comunicado

Na terça-feira mesmo, à tarde, o deputado federal Laércio Oliveira (SD) encaminhou ofício aos gabinetes dos deputados e senadores comunicando da reunião da bancada na tarde da quarta-feira, no gabinete da senadora Maria do Carmo Alves (DEM), para tratar da mudança da coordenação. Compareceram os cinco deputados federais aliados do governador e a senadora.

 

Medidas 1

Logo após o término da reunião, o novo coordenador da bancada, por decisão da maioria, solicitou audiência junto ao ministro das Relações Institucionais, Antônio Imbassay. Laércio vai ao ministério com os seis parlamentares que assinaram o documento o nomeando coordenador.

 

Medidas 2

Ainda ontem Laércio encaminhou para o gabinete do senador Valadares a documentação assinada pela maioria dos 11 parlamentares o destituindo do cargo de coordenador, que é aquele que cuida especialmente dos tramites das emendas de bancada e individuais do Orçamento Geral da União.

 

Ponto de vista

Para o deputado federal Fábio Reis (PMDB) a escolha de Laércio Oliveira como novo coordenador da bancada foi de forma democrática, como sempre foi a indicação do coordenador.  “Valadares foi um grande coordenador nesse período, mas agora a grande maioria achou por bem fazer a renovação e eleger Laércio. Espero que a bancada continue trabalhando de forma harmônica e lutando pelos interesses do estado de forma conjunta” disse.

 

Ausentes

Como já era esperado, não compareceram à reunião, que não foi demorada, os senadores Valadares e Eduardo Amorim (PSDB), e os deputados federais André Moura (PSC) e Valadares Filho (PSB). O deputado Adelson Barreto (PR) chegou à reunião quando ela já tinha acabado. Não chegou a assinar a destituição.

 

Impasse

Para a oposição, Valadares só pode ser destituído do cargo se tiver os votos da maioria dos deputados e dos senadores. O entendimento é que ele tem ainda seis meses de mandato e que mesmo no processo de escolha do novo coordenador haverá necessidade que o eleito tenha o apoio da maioria dos deputados e senadores.  Com cinco dos oito deputados, o governo tem maioria na Câmara. Já a oposição tem maioria no Senado com dois dos três senadores.

 

Quer ficar 1

Do senador Valadares ontem nas redes sociais, sobe a sua destituição: “JB acha que pode tudo, driblar a Comissão de Orçamento ao escolher um novo coordenador fora das normas. Precisa de 6 deputados e 2 senadores”.

 

Quer ficar 2

Disse ainda o senador: “Uma patacoada JB expondo ao rídículo parte da bancada de Sergipe. Pelas regras, o coordenador precisa do apoio de 2 senadores e 6 deputados. Não tem”.

 

Surpreso 1

Ontem o senador Eduardo Amorim demonstrou surpresa com a aproximação da senadora Maria do Carmo e o governador Jackson Barreto. “Quero crer que a senadora Maria do Carmo não vai acompanhar este governo em Sergipe. Pela sua história e pela forma como já foi tratada nos últimos anos”, declarou.

 

Surpreso 2

Lembrou Eduardo que nas eleições de 2014, a senadora foi agredida e chamada de “cadeira vazia”. E que ela e o esposo João Alves eram como se fossem leprosos para o grupo do governador. “Em 2016, usaram a imagem de Maria e João de maneira contrária à campanha de Valadares Filho. Por isso tudo, eu considero estranha essa aproximação”, frisou.

 

Preocupação

Temendo uma aproximação política de Jackson com o empresário, o suplente de senador Ricardo Franco, o senador ainda citou as críticas no passado do governador à família de Ricardo. “Antigamente, o governador chamava a TV Sergipe de TV Cabaú. Entre tantas, essa era a ofensa mais simples contra toda a família Franco”, afirmou.

 

Posse

O governador Jackson Barreto empossou ontem o ex-reitor da UFS, Josué Passos Subrinho, como novo secretário da Fazenda. Com isso, faltam ser empossados ainda como secretários o ex-prefeito Fábio Henrique na Secretaria de Turismo e o engenheiro José Augusto Carvalho na Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciências e Tecnologia.

 

Faltam dois

Josué, que estava na reitoria de Foz do Iguaçu, aguardava liberação do Ministério da Educação para assumir a Secretaria da Fazenda. Fábio Henrique e José Augusto continuam aguardando todo o tramite da documentação de liberação dos seus trabalhos na Polícia Rodoviária Federal e UFRJ respectivamente.

 

Veja essa...

Agente prisional de Sergipe é flagrado entrando em um presídio com 50 celulares e dinheiro para entregar a alguns presos de uma determinada ala. Tá explicado como os detentos possuem aparelho celular e continuam praticando crimes fora da penitenciária.

 

CURTAS

 

O candidato do presidente Temer a vaga de ministro no STF, Alexandre de Moraes, se reuniu ontem com as bancadas do Senado em busca de apoio a sua indicação. Esteve com senadores do PSDB, a exemplo do novo tucano Eduardo Amorim e do presidente nacional do partido, Aécio Neves.

 

O presidente da Assembleia, Luciano Bispo (PMDB), na viagem que fez na terça-feira a Brasília, conseguiu junto aos deputados federais o valor de R$ 2 milhões para a construção da sede própria do Corpo de Bombeiros em Itabaiana. Viabilizou os recursos junto a Fábio Mitidieri, Fábio Reis, Laércio Oliveira e João Daniel.

 

Recursos para a contratação do projeto executivo de duplicação da BR-235 e execução das obras de duplicação da BR-101, no trecho entre o município de Capela e o povoado Pedra Branca. Esta foi a pauta de discussão entre o deputado federal Adelson Barreto (PR), o superintendente regional do DNIT, Alexandre Cunha e o diretor geral do DNIT, Valter Casimiro, que estiveram ontem em Brasília, no Ministério de Transportes, participando de uma reunião com o ministro Mauricio Quintella.

 

Às 9h de hoje, no Calçadão da João Pessoa, haverá um ato de protesto contra a reforma da previdência social proposta pelo presidente Michel Temer. A manifestação está sendo chamada de “ato contra a reforma da morte”.

------------------------------- 

A senadora Maria do Carmo Alves (DEM) aderiu mesmo à base aliada do governador Jackson Barreto (PMDB). Esteve ao lado de JB e deputados federais nas solenidades em Brasília, na terça-feira passada, e ontem assinou documento destituindo o colega Antônio Carlos Valadares (PSB) da coordenação da bancada e apoiou a indicação do deputado federal Laércio Oliveira (SD). 

Na foto, Maria do Carmo está sorridente ao lado do governador, do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) e do presidente da Assembleia, Luciano Bispo (PMDB), para descontentamento da oposição.