Desidratando a oposição

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/02/2017 às 00:21:00

Rita Oliveira

 

Desidratando a oposição

 

O empresário Ricardo Franco, filho do ex-governador Albano Franco (PSDB), estreou na política nas eleições de 2014 quando disputou pela primeira vez um pleito como candidato a primeiro suplente da senadora Maria do Carmo Alves (DEM) filiado ao PTB.

No ano passado Ricardo chegou a assumir o mandato de senador por oito meses, com o afastamento de Maria do Carmo para comandar a Secretaria Municipal de Ação Social na gestão do então prefeito João Alves Filho (DEM).

Demonstrou ter posição política quando não aceitou, pela segunda vez, ser afastado do mandato por apenas um dia para que Maria do Carmo pudesse retornar ao Senado apenas para votar pelo impeachment da então presidente Dilma Rousseff. Após o segundo afastamento, ele se recusou a reassumir o mandato por ter participado de todas as discussões no Senado sobre o impedimento de Dilma e no dia da votação ter ficado de fora.

Saiu com uma nota pública prestando contas do período que passou como senador e depois se desfiliou do DEM, partido que teve de ingressar para assumir o mandato da senadora por um bom tempo. Com o seu gesto, assumiu o mandato de Maria do Carmo o segundo suplente, Virgínio Carvalho (PSC).

Desde que deixou o DEM, Ricardo Franco vem sendo muito assediado pelas lideranças políticas para filiação em seus partidos, principalmente pelo desejo que externou de disputar o governo do estado em 2018. O assedio vem tanto da oposição quanto da base governista.

Em conversa com a coluna, um parlamentar da base aliada do governador Jackson Barreto (PMDB) disse que JB está tentando atrair Ricardo Franco para seu agrupamento político. Acredita que não será difícil de conseguir isso, pelas pretensões do empresário em ser candidato em 2018 não pela oposição, mas pela situação.

Segundo ele, o governador também tenta trazer o deputado federal Adelson Barreto (PR) para o seu agrupamento. Com isso, passaria a ter uma bancada federal de sete parlamentares, sendo seis federais e um senador com a recente adesão ao governo do deputado federal Laércio Oliveira (SD) e da senadora Maria do Carmo.

Trocando em miúdos, se mais na frente Jackson Barreto conseguir trazer Ricardo Franco e Adelson Barreto para a sua base aliada vai desidratar completamente a oposição em Sergipe...

....................................................................................

Proposta de filiação 1

 

Um dos partidos da base aliada do governador Jackson Barreto (PMDB) que convidou o empresário Ricardo Franco para se filiar foi o PDT. Segundo o presidente estadual, ex-prefeito Fábio Henrique, ele conversou com Ricardo e colocou o partido à sua disposição.

 

Proposta de filiação 2

Ressalta Fábio Henrique que a única coisa que disse a Ricardo Franco é que o PDT é da base aliada do governador e que em 2017 terá candidato a presidente da República, que é Ciro Gomes.

 

Proposta de filiação 4

Pela oposição, já fizeram convite a Ricardo Franco desde que deixou o DEM no ano passado lideranças do PP, PSB, PSDB, PPS entre outras legendas. Ele ainda não se decidiu.

 

Ganhou a situação

O presidente da Comissão de Orçamento, Arthur Lira, confirmou ontem o deputado federal Laércio Oliveira (SD) como coordenador da bancada federal de Sergipe. Segundo o presidente, torna-se o coordenador quem tem maioria simples dos votos da bancada. A situação ganhou a queda de braço com a oposição.

 

Defesa da unidade 1

Em conversa com a coluna, o governador Jackson Barreto (PMDB) defendeu a união da bancada federal para o bem de Sergipe. “Armaram um palanque para nós em Brasília para receber ajuda para o combate a seca em Sergipe. O que recebemos foi muito pouco para a quantidade de prefeitos que levamos para Brasília”.

 

Defesa da unidade 2

Para Jackson, se a bancada estivesse trabalhando em conjunto a quantidade de recursos do governo federal para Sergipe seria muito maior. Ressalta que R$ 7 milhões para 28 prefeituras que estão em estado de emergência pela longa estiagem não é nada. Frisou ainda que hoje já tem mais três municípios em estado de emergência, somando 31.

 

Defesa da unidade 3

Ainda segundo o governador, se houvesse união da bancada a quantidade de recursos que o estado receberia para a retomada das obras de duplicação da BR – 101 seria muito maior. “No mínimo teríamos todo o recurso para a duplicação no lado norte e não um pequeno trecho”, avaliou.

 

Somação de força1

Da senadora Maria do Carmo Alves (DEM) sobre as especulações em torno da possível adesão ao governo de Jackson Barreto (PMDB): “Não há adesão. O que há é somação de forças em favor de Sergipe e dos sergipanos”.

 

Somação de força 2

Segundo a senadora, ela foi chamada pelo governador Jackson Barreto que lhe pediu apoio para as demandas do Estado em Brasília. “Como sou senadora da República, eleita para representar Sergipe na capital federal, é a minha obrigação contribuir com o Estado, independente de questiúnculas político-partidárias”, afirmou.

 

Somação de força 3

“O governador pediu meu apoio para ajudá-lo a viabilizar projetos e outras demandas do Estado em Brasília. Assim, tenho feito. Aliás, sempre fiz em todos os meus mandatos. No Senado, o meu compromisso é com Sergipe e com o povo sergipano. Ajudei a todos os governos, independente de ser oposição ou situação”.

 

Somação de força

Para ela, “quando estão em jogo os interesses de Sergipe, não há razão para não se somar”. A senadora disse, ainda, que continua à disposição do governador, assim como está do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PC do B), e de todos os demais 74 gestores sergipanos. “É só me procurar. O meu gabinete sempre esteve e estará sempre a disposição”, finalizou.

 

Sucessão estadual 1

Segundo presidente de honra do PRB, ex-prefeito Heleno Silva, o seu partido está trabalhando para disputar uma chapa de deputado estadual. “Queremos fazer uma chapa e sair sozinho sem coligação”.

 

Sucessão estadual 2

Revela que entre os nomes do partido está o do deputado Jairo de Glória, que vai para a reeleição; a vice-prefeita Adriana Leite; o professor Anderson Gois; o vice-prefeito de Rosário do Catete, o Monteirinho; o pastor Mardoque Bodano; e a vereadora da Barra dos Coqueiros.

 

Sucessão estadual 3

Ainda segundo Heleno, ele tem a pretensão de disputar o Senado em 2018 e o deputado federal Jony Marcos vai para a reeleição. Os dois já estão trabalhando nessa direção.

 

 Homenagem de petista 1

Do secretário nacional de Finanças e Planejamento do PT,  ex-deputado federal Márcio Macêdo, em homenagem ao Partido dos Trabalhadores pelos seus 37 anos: “A maior e melhor experiência organizativa da classe trabalhadora brasileira”.

 

Homenagem de petista 2

Disse ainda Márcio: “Partido que uma vez no governo transformou sonhos em realidade, propostas em políticas públicas e ideias em ações que mudaram a vida das pessoas para melhor. Vida longa ao PT, para continuar o combate do povo brasileiro nas ruas e na institucionalidade democrática por dias melhores. Vida longa ao PT para voltar ao governo e restabelecer as mudanças para um Brasil melhor e justo com os seus filhos".

 

Segundo

Nas rodas políticas ainda se especula o nome do vice-governador Belivaldo Chagas não só para disputar o governo em 2018 como para assumir a próxima vaga do Tribunal de Contas do Estado. Só que a próxima vaga para o TCE é daqui a cinco anos, com a aposentadoria compulsória do conselheiro Carlos Alberto Sobral de Souza, hoje com 70 anos, que vai se utilizar da Lei da Bengala, quando a aposentadoria compulsória do servidor público passou a ser aos 75 anos.

 

Veja essa...

O deputado federal Valadares Filho (PSB) denunciou ontem uma conspiração eleitoral nas eleições de 2016, em que disputou a prefeitura de Aracaju. Segundo ele, a conspiração ocorreu em um ato político no Iate Clube com a presença do prefeito de Salvador, ACM Neto, em que a presença da senadora Maria do Carmo desencadeou as denúncias de que havia um acordo velado com o então prefeito João Alves Filho, contaminando, assim, a sua proposta de renovação e de mudança para Aracaju. “Foi uma grande mentira, uma conspiração liderada pelo governador Jackson Barreto. O que houve foi a tentativa, com êxito, no segundo turno, de denunciar uma situação que nunca existiu. E os últimos acontecimentos políticos que estamos presenciando, mais uma vez comprova isso”.

 

 

CURTAS

 

Augusto Fábio Oliveira, que é funcionário de Carreira do INSS, é o novo secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplog). O anúncio foi feito ontem pelo prefeito Edvaldo Nogueira. A sua posse será na próxima semana.

 

Com o anúncio do novo secretário de Planejamento, Edvaldo só falta anunciar os secretários da Indústria e Comércio e de Defesa Social e Cidadania.

 

O prefeito de Frei Paulo, Anderson Menezes, aproveitou a sua ida a Brasília na terça-feira para solenidade no Ministério da Integração Nacional, para fazer uma peregrinação pelos gabinetes dos deputados federais. Esteve nos gabinetes de Fábio Reis (PMDB), Fábio Mitidieri (PSD), Laércio Oliveira (SD) e André Moura (PSC).

 

Na próxima segunda-feira, às 9h, no plenário da Assembleia, acontece o “Lançamento do Comitê Sergipano de Direitos Sociais”. No evento - uma iniciativa da Alese, OAB e Conal - serão discutidos temas como Reforma da Presidência e Reforma Trabalhista.

------------------------------------------- 

O presidente da Comissão de Orçamento, Arthur Lira, confirmou ontem o deputado federal Laércio Oliveira (SD) como coordenador da bancada federal de Sergipe. Segundo o presidente, torna-se o coordenador quem tem maioria simples dos votos da bancada. A situação ganhou a queda de braço com a oposição.

Segundo um deputado, o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) usou a resolução 1/2006, que rege os trabalhos da Comissão do Orçamento, para dizer que é preciso 2/3 dos senadores e ¾ dos deputados para eleger o coordenador da bancada. Mas na verdade, essa regra trata da indicação de emendas coletivas.