Alese debate realidade social dos transexuais

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/02/2017 às 00:13:00

Na próxima quinta-feira, 16 de fevereiro, às 9h30 a Assembleia Legislativa de Sergipe irá abordar a realidade social em que transexuais e travestis vivem no Estado de Sergipe e a invisibilidade e a violência a que esta parcela da população é submetida cotidianamente.

Para isso, foi convidada a Presidente da Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil - REDTRANS BRASIL, Tathiane Aquino de Araújo, que irá ocupar a tribuna da Casa Legislativa durante o grande expediente para proferir palestra a respeito do tema. A iniciativa é da deputada estadual Ana Lúcia.

 “O objetivo é abordar os problemas e desafios dos/as transexuais e travestis, além da necessidade de políticas públicas para assegurar o exercício da plena cidadania a esses cidadãos e cidadãs”, explica a deputada estadual Ana Lúcia. Além de presidente da REDTRANS BRASIL, Tathiane é Conselheira Nacional de Combate à Discriminação e Prevenção de Direitos LGBT-CNDC LGBT, Conselheira Nacional de Saúde (CNS) e Conselheira Nacional de Assistência Social (CNAS).

A atividade é fruto da Audiência Pública “Visibilidade Trans”, realizada no último dia 23 de janeiro, na ALESE, como parte da programação da Semana da Visibilidade TRANS. Realizada pelo mandato democrático e popular da deputada estadual Ana Lúcia, REDETRANS, Adhones e Semasc, a audiência contou com ampla participação de organizações e militantes LGBT, além de movimentos sociais e sindicais e entidades de classe.

 

Nome Social - Além da necessidade de implementar políticas públicas que efetivamente garantam a dignidade desta parcela da população, um dos aspectos que mais estigmatiza as pessoas trans é o desrespeito a a falta de regulamentação do nome social. Neste sentido, há cerca de cinco anos, Ana Lúcia apresentou um Projeto de Lei que reconhece e regulamenta o uso do nome social das/dos transexuais e transgêneros no âmbito do Poder Estadual. O projeto já passou por todas as comissões, mas ainda não foi votado em plenário.