Polícia detalha ação contra quadrilha no Pau Ferro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 14/02/2017 às 00:19:00

O Complexo de Operações Policiais Especais (Cope), da Polícia Civil, divulgou ontem, em entrevista coletiva, os detalhes da investigação deflagrada contra seis acusados de envolvimento com uma série de assaltos à mão armada em bairros de Aracaju. Três deles foram presos e os outros três morreram em um confronto ocorrido nesta sexta-feira, em uma casa alugada no Loteamento Pau Ferro, no Santos Dumont (zona norte). O grupo também é acusado por crimes de homicídio e tráfico de drogas. Segundo a delegada Mayra Fernanda Moinhos, a investigação começou na quarta-feira passada, quando os policiais receberam informações sobre o assalto recente a uma casa no bairro Mosqueiro (zona de expansão).

Na ocasião, três homens armados tomaram os moradores como reféns, espancaram as vítimas de fugiram levando o carro da família, junto com televisores, ventiladores, notebooks, bolsas, dinheiro e outros objetos. A partir de algumas pistas, os agentes do Cope descobriram que o carro levado no assalto estava no bairro Capucho (zona oeste), com os acusados Lucas Cerqueira Santana de Gois Ribeiro e Luis Matheus Barbosa Nunes. “A dupla confessou ter comprado o carro por R$ 2 mil e adulterado a placa do veículo. Os homens também confessaram atuação no tráfico de drogas nas zonas Norte e Sul de Aracaju e na Barra dos Coqueiros", relata Mayra. Os dois alegaram que não saber que o carro era roubado, mas foram presos e autuados em flagrante por receptação.

Após a prisão da dupla, os agentes do Cope se deslocaram até a residência no Pau Ferro, que segundo as investigações, era usada pelo grupo como ponto de venda de drogas e depósito de bens roubados. Chegando lá, as equipes localizaram três homens apontados como autores do roubo: Dhiego Bruno Santos Rosa, o ‘Neguinho’, e os irmãos Allan Silva Santana e Gladson Santana Júnior, o ‘Macaco’, apontado como chefe da quadrilha. Conforme a delegada, eles resistiram à voz de prisão dada pelos policiais, provocaram um tiroteio, foram atingidos e morreram enquanto eram atendidos no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse).

Ainda na residência, os policiais prenderam Lúcia Flávia Alves Souza dos Santos, que se entregou e foi autuada pelo crime de tráfico de entorpecentes. Ela já tem passagem pela polícia pelo mesmo crime e estava em liberdade condicional. Com os acusados, foram apreendidas duas pistolas, sendo uma ponto 40 e outra 380 milímetros que haviam sido furtadas de uma residência em janeiro deste ano. Também foram achados um revólver, drogas e os bens subtraídos da residência no Mosqueiro.

Sobre a apreensão do material, Mayra destacou que uma das pistolas era de uso restrito da polícia e a forma como a arma foi conseguida pelos criminosos ainda não foi identificada. “As denúncias feitas pelo 181 auxiliaram para que fosse dado o pontapé inicial para o início das investigações para então a polícia chegar à identificação de parte da quadrilha, na tarde de sexta-feira, e provavelmente em 10 dias o caso terá outros desdobramentos”, destacou a delegada do Cope.