Vereadores começam legislatura já pressionados

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/02/2017 às 00:23:00

A presença de integrantes do Movimento Não Pago, servidores da saúde e apoiadores do aplicativo Uber, marcou a reabertura das atividades legislativas na Câmara Municipal de Aracaju. No primeiro dia da 42º Legislatura da CMA, os 24 vereadores eleitos ouviram a mensagem do prefeito Edvaldo Nogueira e começaram a receber pressões sobre pleitos polêmicos, os quis devem movimentar a casa já a partir desta semana. De acordo com os usuários do transporte coletivo da Grande Aracaju, os parlamentares precisam defender os interesses da população, respeitar as propostas de campanha e votar contra projetos que visem reajustar a tarifa de ônibus na região metropolitana.

Conforme solicitação apresentada pelos passageiros e membros do Não Pago, todos os vereadores necessitam pressionar a administração municipal, sobretudo os gestores da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), para que seja divulgado no portal da transferência a planilha de gastos apresentado por empresas que realizam o serviço na região. Os manifestantes, de forma pacífica, destacaram que a atual composição administrativa segue promovendo articulações semelhantes às adotadas pelo ex-prefeito João Alves Filho e demais aliados. Enquanto empresários tentam conscientizar os vereadores a aprovar leis que permitam um novo reajuste no valor da tarifa, o Não Pago exige segurança e qualificação emergencial do serviço.

 

Uber – Sobre a polêmica envolvendo o aplicativo Uber em Aracaju, o presidente da casa legislativa, vereador Nitinho VItale (PSD), voltou a afirmar que defende a implantação deste serviço de transporte de passageiros, e que vai trabalhar para aprovar em curto prazo a legalização da atividade. Assim como vem destacando junto ao Jornal do Dia, o presidente informou na manhã de ontem que o Uber trata-se de uma plataforma alternativa de serviço de qualidade, aprovado em vários estados brasileiros, e, sobretudo, reivindicado e aprovado pela maioria dos aracajuanos. Ele informou ainda que pretende esperar os debates no Congresso Nacional para iniciar as discussões na Câmara Municipal.

 

Saúde - Servidores da saúde, em greve desde o último dia 26 de janeiro, também estiveram na CMA a fim de exigir dos vereadores o apoio necessário para reivindicar o pagamento salarial referente ao mês de dezembro do ano passado. Durante a solenidade de abertura dos trabalhos a direção da Câmara informou que o projeto de parcelamento em 12 vezes a partir do próximo mês de março proposto pelo prefeito Edvaldo Nogueira ainda não foi protocolado na CMA para em seguida ser destinado à apreciação dos vereadores. (Milton Alves Júnior)