Em defesa da unidade

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/02/2017 às 00:47:00

Rita Oliveira

 

Em defesa da unidade

 

Por ter minoria no Congresso Nacional desde o rompimento político com os Valadares, não estava sendo boa a relação política do governador Jackson Barreto (PMDB) com a bancada federal. JB só contava desde o meio do ano passado para cá com o apoio dos quatro deputados federais: Fábio Reis (PMDB), Fábio Mitidieri (SD), Jony Marcos (PRB) e João Daniel (PT).

Estavam na oposição os três senadores – Eduardo Amorim (PSDB), Maria do Carmo Alves (DEM) e o próprio Antônio Carlos Valadares (PSB) – e os deputados federais André Moura (PSC), Adelson Barreto (PR), Laércio Oliveira (SD) e Valadares Filho (PSB).

Até as eleições de 2016, os maiores opositores eram Eduardo Amorim e André Moura. Após as eleições, com a derrota de Valadares Filho para a prefeitura de Aracaju para Edvaldo Nogueira - o candidato de Jackson - o senador Valadares passou a ser o maior opositor do governo.

O que está se vendo das eleições para cá é uma queda de braço entre oposição e governo. A oposição trabalhou para não serem impositivas as emendas coletivas do exercício de 2017 do interesse do governo; que ministros viessem a Sergipe, mas não fossem assinar convênios no Palácio; quis passar para Sergipe que tudo de recursos federais que estão vindo para o estado é por prestigio político dos senadores e deputados federais da oposição, que são aliados do governo Temer, enquanto o governador o chamou de golpista no processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Para virar o jogo, Jackson conseguiu voltar a ter maioria na bancada federal com a adesão ao governo do deputado federal Laércio Oliveira e da senadora Maria do Carmo. Com a maioria, conseguiu, inclusive, a destituição de Valadares da coordenação da bancada.

Esse clima tenso, de disputa entre bancada federal e governo que só prejudica Sergipe, levou o governador Jackson Barreto a fazer ontem um apelo público pela defesa da unidade da bancada federal para vencer a crise e conseguir mais benefícios para Sergipe. Foi durante leitura da mensagem de governo, no plenário da Assembleia Legislativa, na abertura dos trabalhos legislativos do exercício de 2017.

Antes de fazer isso, JB elogiou a atuação do Poder Legislativo e os seus representantes, e alfinetou a bancada federal. Disse que os deputados estaduais souberam, com espírito republicano, dar prioridade ao interesse coletivo, deixando ao lado possíveis injunções partidárias, conveniências pessoais, ou ambições insatisfeitas, e assim, tornando possível o trânsito normal das propostas do executivo, submetidas à apreciação na Alese.

“Nesta Casa, a oposição se fez com o vigor da seiva da democracia, e da calorosa afirmação da pluralidade democrática. A base de sustentação, agiu, com a coerência dos que são responsáveis, e partícipes de um projeto de governo. Dessa forma, esta Assembleia deu um exemplo valioso de como se pode exercitar a política partidária marcada pelas divergências, sem descambar para a mesquinharia dos problemas pessoais, sem se deixar contaminar por sentimentos de frustração ou rancores. Esta Casa, tem demonstrado que é possível fazer, da política, um elo de entendimento, um instrumento de construção, com vistas a um continuado projeto de aperfeiçoamento da sempre complexa arquitetura social. Assim, Executivo e Legislativo se unem, na tarefa de gerar efeitos positivos”, afirmou JB.

Ao começar a se referir a bancada federal, Jackson lembrou que foi deputado federal e que por ser Sergipe um estado com “diminuto” poder político, tudo o que se conquistou foi resultado da união entre governo, deputados e senadores. “Nos gabinetes de Brasília, historicamente, Sergipe foi, em todas as circunstâncias, o nosso único partido. A essa altura da minha vida não tenho o direito de cultivar egocentrismos ou vaidades pessoais, muito menos, de alimentar ilusões sobre o poder, que é mais efêmero do que a frágil precariedade da nossa existência material. Tenho, contudo, um sentimento forte e inarredável do dever e da responsabilidade de governar, de produzir resultados para Sergipe. Isso me faz ultrapassar animosidades, e até esquecer ofensas”, frisou.

“Por isso faço um apelo, desta vez, pela unidade da nossa bancada em Brasília, pela somação dos esforços de todos os representantes, no Senado e na Câmara, não para ajudar um governo, ou um eventual governante, mas, exclusivamente, em favor de Sergipe e do nosso povo. Estarei sempre pronto, com humildade, e fortalecido nas minhas convicções democráticas, a dialogar sobre questões institucionais, a prestar a esses mesmos opositores, que enxergo como adversários, nunca como inimigos, os esclarecimentos que se façam necessários sobre o governo, sobre projetos, de modo geral e amplo, com presteza e absoluta transparência, por entender que nenhum governo será efetivamente democrático, se for refugiar-se nos  ‘intramuros do poder’”, finalizou JB.

Pelo andar da carruagem, essa unidade da bancada está muito difícil de ocorrer.

...................................................................................

Prestando contas

Em sua mensagem de governo lida ontem na Assembleia Legislativa, o governador Jackson Barreto (PMDB) também abordou dois temas que sempre estão na pauta da oposição: as obras do Proinvest e Hospital do Câncer.

Proinveste

Revelou que os recursos do Proinveste não foram liberados todo de uma vez. “Dos R$ 428 milhões previstos inicialmente no projeto, nesta primeira etapa já foram liberados R$ 257 milhões, e desses, foram utilizados R$ 167 milhões. Existem ainda duas cotas a serem liberadas posteriormente, uma de R$ 130 milhões e outra final de R$ 42 milhões. A previsão é de que até janeiro de 2019 esses recursos sejam totalmente aplicados nos diversos projetos”, afirmou JB, que nominou onde os recursos do Proinvest já foram investidos.

Hospital do Câncer

Do governador: “Amanhã [hoje] será um dia histórico para Sergipe. Iremos, finalmente, dar a Ordem de Serviço para o início da construção do prédio do Hospital do Câncer Governador Marcelo Déda em nosso estado. Foram muitas barreiras que encontramos ao longo desses anos para que chegássemos nesse dia. Barreiras de ordem burocráticas que foram vencidas uma a uma com trabalho, competências das equipes do governo e muita paciência, mas agora iremos iniciar esse grande sonho que vem desde o governador Marcelo Déda, e que foi herdado por nós, na certeza de que um dia viraria realidade”.

 

Convite

Antes de entrar no plenário da Assembleia para levar a mensagem de governo, Jackson Barreto, ao conceder entrevista à imprensa, convidou os três senadores de Sergipe, especialmente Eduardo Amorim (PSDB) pelas suas cobranças para construção do Hospital do Câncer, a comparecerem hoje a solenidade de assinatura da ordem de serviço para construção do hospital, orçado em R$ 59 milhões.

 

Sobre a FHS

Sobre a mudança da estrutura da Fundação Hospitalar de Sergipe para a Secretaria da Saúde, que o secretário Almeida Lima quer fazer através de decreto, o governador afirmou que não assinará qualquer decreto mudando a estrutura da FHS para a SES. Atribuiu essa notícia, inclusive publicada ontem pela coluna, a uma “fofoca”.

 

Cobrança aos secretários

Ao falar no primeiro dia dos trabalhos legislativos de 2017, o presidente Luciano Bispo (PMDB), pediu que os secretários de estado recebessem e procurassem atender com agilidade aos deputados de situação e oposição que os procurassem em seus gabinetes. “Os deputados são representantes do povo. Os secretários terão todo o nosso apoio. Qualquer demanda, terão um parceiro. Só precisam atender bem os deputados”, disse.

 

Menos três deputados

Os trabalhos na Assembleia iniciaram ontem com apenas 21 deputados em plenário. Ainda não tinha chegado ao Poder Legislativo a notificação judicial para que o terceiro suplente Daniel Fortes (PEN) assuma o mandato que seria do primeiro suplente Adelson Barreto Filho (PR), impedido judicialmente de assumir função pública pelo seu envolvimento na Operação Indenizar-se. Os deputados Augusto Bezerra (DEM) e Paulinho da Varzinhas (PTdoB) continuam afastados por decisão judicial, pelo envolvimento no escândalo das verbas de subvenção da Assembleia.

 

Na Câmara

O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) também foi ontem à Câmara Municipal levar a mensagem de governo no primeiro dia dos trabalhos legislativos de 2017. Pediu a colaboração dos vereadores na reconstrução da cidade, pela situação caótica que encontrou a prefeitura e que tem uma dívida de R$ 540 milhões. EN também fez um balanço dos 45 primeiros dias da sua administração.

 

Homenagem

Nesta quinta-feira o ex-governador Albano Franco será homenageado em Alagoinhas (BA), em reconhecimento a sua atuação na presidência da Confederação Nacional da Indústria. Ele vai receber o Diploma de Honra ao Mérito da Confraria Pórtico de Ouro de Alagoinhas, tradicional entidade associativa daquela comunidade. A solenidade acontecerá às 13h, durante almoço festivo no Restaurante Baita Tchê, que terá a presença de alguns amigos sergipanos, como o presidente da Assembleia, Luciano Bispo, e o ex-vice-prefeito de Aracaju, José Carlos Machado.

 

CURTAS

 

Do deputado estadual Georgeo Passos (PTC), ontem, no plenário da Assembleia Legislativa: “Não seremos uma oposição em cima do muro”.

 

Do deputado Robson Viana (PEN) no primeiro dia dos trabalhos legislativos de 2017: “Tenho certeza que teremos coisas boas para o sergipano, pois não é um ano de eleição. E que produziremos mais nessa Casa, ou seja, cuidaremos dos interesses do Estado e discutiremos medidas para melhorar a vida dos cidadãos”.

 

O governador Jackson Barreto foi ontem à Assembleia acompanhado do vice-governador Belivaldo Chagas e secretários. O prefeito Edvaldo Nogueira também foi a Câmara acompanhado da vice Eliane Aquino e de secretários. 

 

O deputado estadual Luciano Pimentel (PSB) recebeu ontem em seu gabinete na Assembleia o superintendente do Dnocs em Sergipe, Anailton Ribeiro, acompanhados dos ex-prefeitos de Poço Verde, Toinho de Dorinha, e de Simão Dias, Zé Valadares. Na pauta, uma discussão em busca de soluções para os problemas relacionados a seca.

 

-------------------------------------------------------------------------------

Depois de várias matérias falando da possível saída do deputado federal André Moura (PSC) da liderança do governo na Câmara na mídia nacional, ontem O Globo publicou uma matéria relatando o empenho de André na comissão que analisa a reforma da Previdência. De acordo com o jornal, a atuação de cada parlamentar da base governista segue orientação direta do líder e já foram informados sobre todos as nuances que circundam o texto da PEC 287/2016, que altera alguns artigos da Constituição, e dispõe sobre a seguridade social.

O jornal atribuiu as coordenadas do líder André como uma força-tarefa na linha de frente de atuação da comissão da Previdência e que suas ações garantem que o cronograma apresentado pelo relator da comissão, deputado  Arthur Maia (PPS-BA), seja cumprido à risca.