Mudanças na Copa do Nordeste-2018

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 17/02/2017 às 05:35:00

A principal delas, a ser sentida pelos clube,s é a redução no número de participantes

 

Givaldo Batista

givaldobs@yahoo.com.br

 

O presidente da Federação Sergipana de Futebol (FSF), Milton Dantas, Já retornou a Aracaju. Ele participou no Rio de Janeiro de uma reunião entre dirigentes de federações e clubes nordestinos, participantes da Copa do Nordeste, quando ficaram preliminarmente definidas, modificações na competição regional, para a próxima temporada.

Segundo Milton Dantas,o formato decidido nesta terça-feira, na sede da Confederação Brasileira de Futebol, no Rio de Janeiro terá 16 clubes novamente, com quatro grupos de quatro equipes. Atualmente são 20, o que baixou o nível de público, renda e técnico.

As vagas serão assim distribuídas para a edição 2018:Todos os campeões estaduais (nove equipes);Vice-campeões estaduais de Bahia, Pernambuco e Ceará (três);Vencedores de uma fase prévia, chamada Pré-Nordestão. Participarão os seis outros vice-campeões, além dos terceiros colocados de Bahia e Pernambucano. Daí saem quatro equipes, formando os 16 participantes.

Para 2019 também há mudanças importantes.Continuam classificados os nove campeões estaduais. Bahia, Pernambuco e Ceará seguem com outra vaga automática, mas não serão mais os vices e sim, os times desses estados em melhor colocação no ranking nacional, totalizando 12 equipes.

As outras quatro vagas vindas do Pré-Nordestão serão disputadas em um mata-mata com oito equipes. Essas oito vão obedecer o seguinte critério: os melhores colocados de cada estado (menos Ceará) também pelo ranking nacional.

A adoção do ranking nacional para boa parte das vagas (sete, quase metade) elitiza a competição e elimina o critério técnico puro da temporada anterior, deixando muito mais complicada a possibilidade de uma equipe menor participar.