Mulher é presa por vender gasolina na própria casa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/02/2017 às 00:32:00

Uma atividade muito perigosa de comércio informal foi interrompida pela Polícia Civil ontem de manhã em São Francisco (Baixo São Francisco). A moradora Maria Creuza Pereira Campos, 49 anos, foi presa em flagrante sob acusação de revender gasolina em sua própria residência. Tudo aconteceu a partir de uma denúncia anônima apurada por policiais do Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) de Malhada dos Bois, cidade vizinha a São Francisco. Os agentes estiveram na casa para cumprir um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça.

Segundo a delegada Suirá Paim, foram apreendidos cerca de 70 litros de gasolina armazenados no quintal da casa. Creuza foi autuada por adquirir e revender derivados de petróleo, conforme prevê a Lei 8.176/91, cujo texto trata de crimes contra a ordem econômica. Ela ainda vai responder pela Lei de Crimes Ambientais, por comercializar e ter a gasolina em depósito. Os policiais ainda recolheram mais de 150 notas fiscais, oriundas da compra da gasolina em dois postos de combustíveis em Malhada dos Bois. A acusada relatou em depoimento que cada litro de gasolina era vendido por R$ 5,00. E também deu informações sobre a compra e armazenamento do combustível.

O produto será encaminhado para o Instituto de Criminalística, em Aracaju, onde os peritos farão uma análise técnica do que foi apreendido. “O material era armazenado de maneira precária, sem qualquer nível de segurança. Uma explosão poderia acontecer a qualquer momento, porque o produto era empilhado e as residências na região são coladas. Era uma situação que colocava em risco a vida da própria acusada”, avaliou Suirá. Um inquérito foi instaurado no Cisp de Malhada para apurar os detalhes da revenda ilegal de combustíveis e, segundo a polícia, outras pessoas poderão ser igualmente responsabilizadas. Maria Creuza foi transferida para a 3ª Delegacia Metropolitana (3ª DM), em Aracaju, onde aguarda a decisão da Justiça.