A quase unidade do PT

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/02/2017 às 00:48:00

Rita Oliveira

 

A quase unidade do PT

 

O PT é um partido diferente dos outros. O que o difere das outras legendas partidárias são as várias correntes internas e o processo de eleição direta, o PED, para a escolha dos dirigentes dos diretórios municipais, estaduais e nacional a cada quatro anos.

As disputas internas no PT sempre foram acirradas. Em Sergipe mesmo, esse acirramento sempre ocorreu não só entre as diversas correntes, mas entre lideranças da mesma tendência. Como foi o caso dos então deputados federais Rogério Carvalho e Márcio Macedo, da Construindo um Novo Brasil (CNB), que tiveram um forte embate pelo comando do Diretório Estadual no PED 2013.

As brigas internas no PT, que sempre existiram, não são boas para o partido. Principalmente agora que a legenda passa por uma crise moral, com a Operação Lava Jato, que levou à prisão petistas históricos como o ex-presidente nacional da legenda, ex-ministro José Dirceu, entre outras lideranças, e existe a possibilidade do próprio ex-presidente Lula vir a ser preso condenado.

Sem falar que o PT foi o maior derrotado das eleições municipais de 2016, perdendo um grande número de prefeitos. Em 2012, o partido elegeu 630 prefeitos e em 2016 esse número caiu para 256, o correspondente a uma baixa de 59,40%. Em Sergipe mesmo, a legenda elegeu sete prefeitos em 2012 e no último pleito apenas três.

Esse cenário político fez as duas maiores lideranças do PT hoje, antes grandes rivais, a se unirem. Os ex-deputados federais Márcio Macedo e Rogério Carvalho vão caminhar juntos no PED 2017, com o agrupamento de Rogério apoiando o candidato de Márcio a presidente do diretório municipal, Jeferson Lima, e o de Márcio apoiando a reeleição de Rogério a presidente estadual.

O fato mais marcante é que está existindo quase que a unidade do PT, que sempre foi um saco de gatos. Todas as correntes internas do partido, a exceção da Articulação de Esquerda, da deputada estadual Ana Lúcia, estão apoiando o nome do ex-coordenador nacional do PT, Jeferson, para o diretório municipal, e de Rogério Carvalho para o diretório estadual. A tendência de Ana Lúcia vai lançar o advogado Tiago Oliveira como candidato ao Diretório de Aracaju e a ex-presidente do Sintese, Ângela Melo para o estadual. Estará isolada nesse processo.

O martelo dessa quase unidade do PT foi batido anteontem, durante reunião de militantes e lideranças políticas do PT. Esse ato não deixa de ser histórico dentro da legenda. Mostra um amadurecimento das lideranças, mediante a crise vivida pela legenda.

O momento é realmente de reconstrução do Partido dos Trabalhadores e isso só ocorrerá com a unidade das suas lideranças e militância.

......................................................................................    

 

Ponto de vista

Do secretário nacional de finanças do PT, Márcio Macedo, sobre a quase unidade do partido no Processo de Eleição Direta, o PED 2017, divulgado na coluna de ontem com exclusividade: "Este ato entrará para a história do partido. Este momento é de reconstrução do nosso partido. Vivenciamos dificuldades. Houve um golpe parlamentar, vivemos um regime de exceção. É um momento que merece atenção e ação contundente contra o golpe. O PT está resistindo. Não podemos nos acovardar. Não há tempo para divisão. É tempo de maturidade. Nossas divergências são muito pequenas diante da importância do nosso partido. O PT é o instrumento da classe trabalhadora. Temos que ter unidade. O melhor para o partido é a unidade".

 

Nomes da Articulação

A tendência Articulação de Esquerda, da deputada estadual Ana Lúcia, fechou na última segunda-feira à noite o nome da professora Ângela Melo para disputar a presidência do Diretório Estadual contra o presidente Rogério Carvalho. Como a coluna já informou, fechou o nome do advogado Tiago Oliveira para disputar contra Jeferson Lima o Diretório de Aracaju, no PED a ser realizado em 10 de abril.

 

Justificativa

De Ana Lúcia sobre o fato da sua corrente ser a única do PT que não apoiará os nomes de Rogério Carvalho e Jeferson Lima, não contribuindo para a unidade do partido: “A Articulação de Esquerda deliberou nacionalmente que não há possibilidade de aliança com a chapa majoritária por discordar de diversos aspectos de sua tese, em especial no que se refere à política de alianças do partido”. A deputada já declarou que em 2018 a sua tendência não apoiará o candidato a governador do PMDB, por ser um partido que apoiou o “golpe”.

 

Emprego e renda

O governador Jackson Barreto (PMDB) se reuniu ontem com executivos da Celse, empresa que vai implantar a Termoelétrica Porto de Sergipe, na Barra dos Coqueiros, um investimento de R$ 5 bilhões e previsão de geração de 1.700 empregos diretos. Os executivos informaram como estão os investimentos e JB reivindicou que abrissem espaço para empresas de Sergipe nas diversas áreas para construção do empreendimento, como de construção civil. Disse que o seu foco é gerar emprego e renda para os sergipanos nesse momento de crise. 

 

 

Explicações de Almeida 1

 O secretário Almeida Lima (Saúde), através da sua assessoria, encaminhou à coluna algumas ponderações ao artigo publicado na edição de ontem com o titulo “Consequências de atos impensados”, referentes as suas declarações sobre a possibilidade de extinção da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS).

 

Explicações de Almeida 2

Diz a nota: “Desde que o secretário Almeida Lima assumiu a pasta da Saúde, em 26 de janeiro, foi aberto um diálogo permanente com representantes das entidades da classe médica, sindicatos que representam os profissionais da área da saúde e empresários fornecedores. Portanto, não é uma gestão falando sozinha. Nas entrevistas concedidas até agora o secretário tem revelado a real situação da pasta, com números e fatos”.

 

Explicações de Almeida 3

Prossegue a nota: “Sobre as fundações, há uma corrida contra o tempo para garantir o cumprimento de uma determinação judicial, já de conhecimento de todos, que prevê uma série de limitações e de determinações impostas (que foram aceitas pelo Estado). Para que não houvesse uma medida judicial mais grave, o governo pediu a renovação desse acordo por mais um ano que chegará ao fim em dezembro de 2017. Portanto, a Secretaria ganhou um prazo, mas vem sendo auditada mensalmente em prestações de contas através de reuniões e de memoriais escritos pelo próprio Ministério Público Federal”.

 

Explicações de Almeida 4

Continua a nota: “Não há porque temer demissões e calotes, até porque não estão em discussão. O presidente do Sintasa, que representa 60% dos servidores, esteve reunido com o secretário e ofereceu apoio à iniciativa pelas mudanças na fundação. Augusto Couto lembrou no encontro que a FHS tem 6.580 servidores e cerca de 4.500 são da base do Sintasa. Ele defende que o gerenciamento da FHS fique com a Secretaria de Saúde”.

Explicações de Almeida 5

Finaliza dizendo: “Ao contrário do que afirma a coluna, não haverá desemprego ou dívidas para o governo com as modificações. Almeida recebeu a visita do governador Jackson Barreto ontem (21), que está sendo informado de todas as etapas deste processo”.

 

 

 

Contra antecipação

O ex-deputado estadual Jorge Araújo (PSD) tem restrições ao projeto de lei de autoria do deputado federal Laércio Oliveira (SD), que propõe a antecipação dos feriados sempre para as segundas-feiras. Para ele, é preciso se observar e respeitar a tradição e a religiosidade dos municípios. “Antecipar não me parece correto. Estas datas foram criadas para serem comemoradas e vivenciadas, e não apenas para curtir feriado”.

 

Discurso na Alese

Do recém empossado deputado estadual Moritos Matos (PROS), ao discursar ontem pela primeira vez no plenário da Assembleia: “Sou um homem decepcionado com a classe política. Nos últimos anos observamos esse país mergulhado em crises. Há muitos anos que o Brasil não vê um político, um líder que verdadeiramente ame seu povo. Porque o político que não ama seu povo é um demagogo, é um fascista. Já diz a letra da música ‘Quando a gente ama é claro que a gente cuida’. Não é um amor da boca para fora, mas que vem do peito. É muito fácil dizer que ama, mas as ações não mentem”.

 

Veja essa...

Durante abertura dos trabalhos da nova legislatura da Câmara Municipal de Monte Alegre o vereador Dorge da Pousada (PSB) afirmou que ainda não sabe se é oposição ou situação a prefeita Nena (PRB). Dorge, que foi eleito pela coligação de Nena, disse que tem sido excluído pela administração municipal.

 

 

CURTAS

 

O G1 informou que o presidente Temer já encontrou uma fórmula para resolver o impasse em torno da liderança do governo na Câmara. Caminha para colocar o deputado Lelo Comibra (PMDB-ES) como o novo líder do governo e deslocará o líder André Moura (PSC-SE) para o cargo de líder da maioria, que será criado para contemplá-lo.

 

O deputado federal Laércio Oliveira (SD) e o coordenador do escritório de representação de Sergipe em Brasília, Heleno Silva (PRB), jantaram ontem em Brasília. Discutiram a situação política de Sergipe.

 

Ontem, nas rodas políticas, um dos assuntos comentados foi o tamanho diminuto da oposição em Sergipe, que se reuniu durante café da manhã, na última segunda-feira, em um hotel da orla.

 

Foi muito comentado que o deputado estadual Capitão Samuel (PSL) finalmente assumiu sua posição de novo integrante da bancada governista, ao não comparecer ao café da manhã da oposição, com a presença do empresário Ricardo Franco.

-------------------------------------------- 

Durante o dia de ontem, o secretário Zezinho Sobral (Inclusão Social) participou, em Brasília, da sua primeira reunião como representante de Sergipe no Fórum Nacional de Secretários de Estado da Assistência Social  (Fonseas). Na pauta, discussões relativas à adequação da lei do Sistema Único da Assistência Social  (SUAS) à nova realidade política e econômica do país.