Polícia procura segundo envolvido em ataque a vigilante

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 25/02/2017 às 10:26:00

Gabriel Damásio

 

A Polícia Civil já sabe quem é o segundo acusado de envolvimento com a tentativa de assalto que deixou um vigilante ferido no estacionamento dos Fóruns Integrados II, no 18 do Forte (zona norte de Aracaju), na manhã desta quinta-feira. De acordo com a Delegacia de Roubos e Furtos (Derof), trata-se do ex-presidiário Fagner Pierre Correa Santos, 31 anos, que é considerado foragido e tem passagem pelo sistema prisional pelo crime de tráfico de drogas. Ele estava em liberdade condicional e foi identificado como o homem que dirigia um carro de cor vermelha nas proximidades do fórum, dando cobertura ao autor do crime.

O primeiro acusado, Leilson Carlos Santos Neto, 24, foi preso em flagrante duas horas depois do episódio, após tentar atendimento médico com os documentos de um irmão no Hospital Primavera, no Jardins (zona sul). Ele levou um tiro na mão depois de entrar em luta corporal com o vigilante Gildo Santana Santos, 44, de quem tentou levar um revólver calibre 38. A vítima reagiu à abordagem e, apesar de balear o assaltante, levou dois tiros na altura do ombro. Gildo se recupera bem de uma cirurgia para retirar uma bala alojada na clavícula, e seu estado de saúde é bom. A arma do vigilante não foi levada e Leilson fugiu deixando para trás o seu revólver e um telefone celular.

De acordo com a delegada Juliana Alcoforado, da Derof, Leilson já tem passagem pela polícia pelo crime de roubo. Ele foi preso após roubar a arma de um vigilante da Defensoria Pública de Sergipe, em 29 de fevereiro de 2016. Fagner, por sua vez, já foi preso no dia 26 de junho de 2015 em Penedo (AL), acusado de furtar o carro de um funcionário da Santa Casa de Misericórdia da cidade. Na ocasião, ele foi detido pela Polícia Militar com um parceiro, também sergipano, enquanto esperava a vinda da balsa que liga a cidade alagoana a Neópolis (Baixo São Francisco). A população pode contribuir com mais informações sobre o foragido, utilizando o Disque Denúncia por meio do aplicativo ‘Disque Denúncia SE’ ou ligando para o telefone 181.