Mulheres farão ato hoje contra reforma da Previdência

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/03/2017 às 00:28:00

Em pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa de Sergipe ontem, a deputada estadual Ana Lúcia chamou a atenção para a mobilização das mulheres neste dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, com vistas a barrar a reforma da previdência proposta pelo governo ilegítimo de Michel Temer. A chamada contrarreforma prejudica mais intensamente as mulheres trabalhadoras, em especial as professoras e trabalhadoras rurais.

Se aprovada, a reforma da previdência iguala e aumenta a idade mínima de aposentadoria para 65 anos para homens e mulheres, além de tempo de contribuição de, no mínimo, 49 anos para aposentadoria integral. As regras da PEC valerão tanto para o serviço público quanto para o privado, e atingirá mulheres com 45 anos ou menos, e homens com idade inferior a 50 anos.

Ao igualar a idade mínima de aposentadoria para homens e mulheres, a reforma desconsidera que as mulheres acumulam, em sua grande maioria, o trabalho profissional e as tarefas domésticas e familiares. No caso das trabalhadoras rurais e professoras, além de terem a idade mínima igualada à dos homens, estas trabalhadoras perdem o direito de se aposentar cinco anos mais cedo devido à natureza da função desenvolvida, que atualmente é garantido.