MP quer a saída de Mendonça da presidência da Emsurb

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/03/2017 às 00:01:00

O Ministério Púbico de Sergipe moveu uma ação de improbidade administrativa e por desobediência de decisão judicial contra o presidente da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), Mendonça Prado. O MP também pede em caráter de urgência o seu afastamento do cargo.

De acordo com o MPE, Mendonça Prado teve tempo suficiente realizar o trâmite necessário para substituir a empresa Cavo, já que ele tinha conhecimento de que o contrato seria encerrado no dia 5 de março, não sendo necessária a contratação da empresa Torre em caráter de emergência.

 

Reação - Em nota, o presidente da Emsurb, Mendonça Prado, refutou posição do Ministério Público do Estado de Sergipe. Segundo Mendonça Prado, apesar do respeito que tem pelo órgão acusador, tem convicção absoluta que o Poder Judiciário é criterioso e constituído de pessoas honradas. Dessa maneira, irá apreciar a ação de autoria dos promotores de Justiça com seriedade, observando todos os atos e datas registrados nos documentos.

De acordo com Mendonça, não há porque ter preocupação com ações dessa natureza, já que os processos são anotados por oficiais de Justiça que têm fé pública e, por essa razão, não há como não compreender a cronologia dos atos administrativos. “Não fazemos nada que desobedeça ao que está previsto no ordenamento jurídico ou ordens emanadas do Poder Judiciário. A nossa conduta é conhecida por todos. Tenho 30 anos de vida pública, já ocupei diversos cargos e sempre procurei ser disciplinado e obediente aos textos legais”, frisou Mendonça.

O presidente da Emsurb lamentou ainda que o Ministério Público tenha solicitado ao Judiciário a punição dele, incluindo no pedido que o magistrado não ouvisse a outra parte. Ou seja, pede a punição sem que Mendonça e a Emsurb sejam ouvidos.

 Mendonça Prado falou que prosseguirá trabalhando com honradez e dignidade, sem se deixar levar por pressões. O presidente da empresa municipal disse também que respeita o Ministério Público, pois é um órgão fundamental para o estado democrático de direito, mas que não ficará inerte e contestará toda e qualquer ação, pois confia plenamente na Justiça sergipana.

 Por fim, Mendonça Prado disse que está de portas abertas para todos os cidadãos. “Faço questão de dirimir qualquer dúvida sobre os atos da Emsurb, especialmente, o Ministério Público, caso queira esclarecer qualquer situação. Dessa maneira, todos nós cumpriremos o nosso dever”.

 

A coleta - Atendendo pedido do MPE, a Justiça determinou que a Prefeitura de Aracaju mantivesse o serviço de coleta de lixo através da Cavo por mais 70 dias. Nesse período a prefeitura deve organizar um edital para contratação de uma empresa para realizar a coleta.

Na última segunda-feira (6), o presidente da Emsurb anunciou que a empresa Torre iria realizar a limpeza da capital sergipana.