Servidores do Hospital Cirurgia podem entrar em greve na terça

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/03/2017 às 00:04:00

Funcionários da Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia confirmaram na manhã de ontem ao Jornal do Dia que irão suspender todos os atendimentos destinados à pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), a partir das 0h da próxima terça-feira, 14. De acordo com a classe trabalhadora, a medida considerada extrema será aplicada diante da possibilidade de não quitação da segunda parcela do décimo terceiro salário, atrasado há exatos 80 dias. Na última quarta-feira, 08, o diretor do hospital, Gilberto Santos, comunicou a existência de irregularidades no repasse financeiro por parte da Prefeitura de Aracaju, e por este motivo, podem não cumprir o acordo firmado na Justiça do Trabalho. A proposta do HC era sanar o débito até a próxima segunda-feira, 13.

Conforme contabilidade apresentada pela direção hospitalar, a PMA acumula desde o mês de agosto do ano passado um montante superior a cinco milhões de reais. A dívida estava orçada em nove milhões de reais, porém, mesmo depois de reuniões e acordos firmados junto ao Ministério Público Estadual, apenas pouco mais de quatro milhões foram depositados na conta do HC. Com isso, a administração garante que ficará impraticável seguir com a rotina regular dos serviços. Caso o dinheiro não seja depositado até a tarde de segunda, a partir de terça a unidade hospitalar seguirá de portas abertas apenas para pacientes com atendimento particular.

Após o pronunciamento feito por Gilberto Santos, o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) informou que não tolerará mais um atraso, ou mais uma contraproposta apresentando outra data limite. A categoria entende a dificuldade financeira enfrentada pelo hospital, mas esclarece que estes impasses devem ser resolvidos entre as partes contratantes e a justiça, e não penalizando os funcionários que dependem do repasse salarial. Para Augusto Couto, presidente do Sintasa, os órgãos de fiscalização e proteção dos trabalhadores têm a obrigação em punir os responsáveis pelo dano econômico causado às famílias dos servidores. O sindicalista enalteceu a importância do movimento grevista.

“Essa é a nossa única arma possível para combater este absurdo. Dezenas de trabalhadores sofrem com esse mal desde o ano passado e clamamos pela intervenção dos poderes jurídicos. Infelizmente lamentamos pela possibilidade de mais um atraso na segunda parcela deste benefício e pela paralisação que será sentida pelos aracajuanos que buscarem atendimento no HC”, declarou. De acordo com as exigências presentes na Constituição Federal, a segunda parcela da gratificação natalina deve ser quitada até o dia 20 de dezembro. Números apresentados pelos servidores indicam que pelo menos 22 cirurgias deixam de ser realizadas a cada dia de greve. Caso se confirme o não repasse do 13º salário, cerca de 1.300 funcionários pretendem aderir à paralisação.

 

PMA – Por meio de nota a Secretaria Municipal de Saúde informou reconhecer a existência de uma dívida, porém, bastante inferior ao declarado pelo HC; de acordo com a SMS a dívida é de R$1.620.140, 00 referentes aos meses de setembro, outubro e novembro do ano passado. Na tentativa de reduzir o déficit e evitar a paralisação dos trabalhadores, a administração municipal disse ter repassado na tarde de ontem um valor de R$ 536.860,18, referente ao mês de agosto. A nota oficial alega ainda que os débitos referentes aos meses de dezembro do ano passado e janeiro deste ano estão em dias.