Professores se acorrentam na casa de Jackson

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 14/03/2017 às 00:12:00

Um grupo de professores aposentados ligados ao Sintese (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Sergipe) fez na manhã de ontem uma manifestação em frente à casa do governador Jackson Barreto (PMDB), no bairro Atalaia. Durante cerca de quatro horas, eles se acorrentaram com um cadeado  junto à porta da residência, bateram panelas vazias e gritaram palavras de ordem em protesto contra o atraso no pagamento dos salários dos inativos do magistério.

Os aposentados reclamam que a falta de pontualidade no pagamento dos salários vem lhes causando sérias dificuldades. Já o Sintese afirma que esses atrasos “são uma escolha política do governador”, alegando que o governo sergipano recebeu, nos últimos três meses, mais de R$ 1,2 bilhão do Fundo de Participação dos Estados (FPE), conforme dados do Banco do Brasil e do Tribunal de Contas do Estado. o protesto terminou por volta do meio-dia, quando os professores deixaram a rua da casa do governador.

Em nota, o Palácio de Despachos informou que o calendário do funcionalismo público será encerrado hoje, “porque parte do ICMS utilizado para pagar a folha de aposentados e pensionistas só foi recolhida na sexta, dia 10, sendo repassado no sábado, dia 11”. O dinheiro dos pagamentos, foi repassado ontem pela Secretaria da Fazenda e estará disponível hoje nas contas bancárias dos ex-servidores.

“O repasse utilizado pelos cofres estaduais para cobrir o déficit da previdência este mês foi de R$ 104 milhões. A gestão estadual informa que tem se esforçado para equilibrar as contas estaduais a fim de regularizar o calendário de servidores ativos e inativos, porém a administração tem um déficit da previdência em torno de R$ 1,3 bilhão por ano, o que corresponde a 25% da receita, e compromete o fechamento da folha salarial no final de cada mês”, diz o comunicado.