Prefeitura dialoga com movimentos pró-moradia e firma compromissos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A vice-prefeita Eliane Aquino e o secretário de governo, Carlos Cauê, receberam os manifestantes. Foto: Sérgio Silva
A vice-prefeita Eliane Aquino e o secretário de governo, Carlos Cauê, receberam os manifestantes. Foto: Sérgio Silva

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 16/03/2017 às 00:43:00

A vice-prefeita de Aracaju e secretária de Assistência Social e Cidadania, Eliane Aquino, se reuniu ontem com representantes de dez movimentos populares pró-moradia que reivindicam habitação na capital. Participaram da reunião os representantes das ocupações Novo Amanhecer, 17 de Dezembro, Terra Prometida, Mangabeira, Clínica Santa Maria, Dandara, Vitória, Nasce a Esperança, CSP Conlutas e Luta Popular.

Na ocasião, os líderes do grupo entregaram uma carta com as seguintes reivindicações: suspensão imediata da reintegração de posse da ocupação Novo Amanhecer, no conjunto Vida Nova, no bairro Santa Maria, loteamento das terras ocupadas e construção de moradias para todas as famílias que vivem em ocupações e para as que recebem auxílio moradia. Alguns beneficiários também relataram atraso no pagamento do benefício.

Após várias horas de discussões, os gestores municipais apresentaram uma carta com os compromissos da administração municipal para as demandas apresentadas. A respeito das questões mais imediatas, eles informaram que a Prefeitura de Aracaju não tem, legalmente, como intervir na ação judicial visto que ela não é parte na ação, e garantiram que a administração se compromete a empreender esforços para regularizar o pagamento do aluguel social.

O documento apresentado pela vice-prefeita e pelos demais representantes do governo municipal informa ainda que, em dois meses, será anunciado o Plano de Habitação da capital, com o detalhamento dos caminhos para a captação de recursos junto ao Governo Federal e aos órgãos relacionados com a questão.

“Este é um problema real da cidade de Aracaju e nós chegamos e não encontramos nenhuma política estruturada, precisamos reestruturar essa política, fazer projetos, buscar recursos, ter planejamento, correr atrás do Governo Federal e fazer algo transparente. Hoje não temos dinheiro para fazer nada novo, estamos buscando pagar dívidas. Precisamos trabalhar juntos, ter união e empreender uma política com seriedade”, afirmou Eliane Aquino.

A Prefeitura de Aracaju também vai encaminhar oficialmente ao Governo do Estado, à Secretaria do Patrimônio da União (SPU) e à Caixa Econômica Federal “sua preocupação com a realidade social enfrentada pelos ocupantes da Associação Novo Amanhecer, do Condomínio Vida Nova, solicitando a estes órgãos que levem em conta o problema enfrentado por eles”.