Governador garante recursos para finalizar adutora do São Francisco

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 16/03/2017 às 00:51:00

O Ministério da Integração Nacional autorizou o repasse, ainda nesta semana, de R$ 10 milhões ao Governo de Sergipe para o término da duplicação da Adutora do São Francisco, que abastece Aracaju e a região metropolitana da capital. A medida foi anunciada ontem (15) pelo ministro da pasta, Helder Barbalho, em reunião com o governador Jackson Barreto, em Brasília.

“A obra atende a mais de um milhão de pessoas e deverá estar concluída dentro de quatro meses”, afirmou o governador após o encontro. De acordo com o diretor-presidente da Companhia de Saneamento de Sergipe, Carlos Fernandes de Melo, o empreendimento já beneficia a população da capital sergipana e vai garantir o abastecimento da Grande Aracaju pelos próximos 20 anos.

Mais R$ 4 milhões deverão ser repassados para a obra ainda neste mês, a fim de honrar integralmente o compromisso firmado com o governo estadual. Confirmado pelo ministro Helder Barbalho, o repasse total de R$ 14 milhões corresponde aos recursos que Sergipe ainda tem a receber para a obra. Com esse montante, as transferências do Ministério da Integração Nacional para a duplicação da adutora do Canal do São Francisco vão atingir R$ 127 milhões e atender ao valor necessário à entrega da nova estrutura.

Também participaram da audiência o secretário de Infraestrutura Hídrica do ministério, Antônio de Pádua; o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Renato Newton, e o secretário estadual de Infraestrutura de Sergipe, Valmor Barbosa.

Canal de Xingó - A construção do Canal de Xingó também foi debatida na audiência com Helder Barbalho. O governador o presenteou com o livro ‘Linha Mestra Xingó’. De autoria do engenheiro Renato Conde Garcia, que integra o quadro da Deso, a publicação analisa a importância do Canal para o abastecimento de água de Sergipe. “Nesse estudo, o autor mostra que se nada for feito, poderemos ter problemas graves com abastecimento de água. Viemos pedir um olhar especial para o projeto do Canal de Xingó. Queremos a execução do projeto executivo, porque o que temos é o projeto básico, que a Codevasf demorou três anos para realizar, ao custo de R$6,5 milhões”, informou Jackson Barreto.

O Canal de Xingó cortará os estados da Bahia e Sergipe. O projeto prevê a construção de 130 quilômetros do canal, que abrangem desde a captação de água no reservatório de Paulo Afonso (BA), seguindo por Santa Brígida (BA), Canindé de São Francisco (SE), chegando até o reservatório R-5, em Poço Redondo (SE), nas proximidades do perímetro irrigado Jacaré-Curituba. Nas fases seguintes, o canal se estenderá por Porto da Folha, Monte Alegre de Sergipe e Nossa Senhora da Glória.