Polícia investiga supostos crimes envolvendo a coleta de lixo em Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/03/2017 às 00:13:00

A Polícia Civil de Sergipe, por meio do Departamento de Repressão aos Crimes contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap), apresenta hoje, 22, às 08h, na sala de imprensa radialista Júlio César, detalhes da Operação Babel, realizada ontem, 21, visando apurar possíveis cometimentos de crimes da contratação de empresa para a coleta de lixo em Aracaju.

Esta primeira etapa da operação visa dar cumprimento a 13 mandados de busca e apreensão em três empresas. São elas: Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), a Torre Empreendimentos e o Sindicato dos Trabalhadores da Limpeza Pública e Comercial do Estado de Sergipe (Sindilimp).

Na oportunidade, estarão presentes o delegado-geral da Polícia Civil, delegado Alessandro Vieira, e o delegado da Deotap, Gabriel Nogueira, para dar mais informações sobre as investigações que resultaram na deflagração da operação.

Esclarecimento - Em coletiva de imprensa, o presidente da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), Mendonça Prado, esclareceu a operação deflagrada pela Polícia Civil na manhã desta terça-feira, 21, que está apurando contratos com empresas de limpeza pública. A ação visa verificar possíveis irregularidades na contratação de empresa para a coleta de lixo em Aracaju.

Segundo Mendonça Prado, os contratos investigados são de períodos relativos a gestões anteriores. "A polícia está realizando investigações em razão de um inquérito instaurado em 2016, em razão de uma denúncia formulada pela empresa Cavo. O objeto da investigação é a relação administração pública entre Torre e administração pública do município de Aracaju e a empresa Cavo", explicou o presidente da Emsurb.

Durante toda a manhã, as equipes se empenharam em acompanhar e fornecer todo o material necessário para facilitar o trabalho dos policiais, assegurando a política de transparência implementada pela atual administração. Mendonça Prado destacou que a atual administração pública cumpre as leis em sua totalidade e que está aberta para tirar dúvida de qualquer pessoa.

"O contrato com a Torre inclusive está suspenso, e o que está em vigor agora é um contrato emergencial aditivado e tendo processo de prorrogação de 70 dias, conforme determina o Poder Judiciário, com a empresa Cavo. Essa gestão não cometeu nenhum erro", ressaltou.

Em relação à continuidade dos serviços de limpeza na cidade o presidente da empresa municipal afirmou que vai manter o que foi definido pela Justiça. "Eu digo, desde que assumi, que os serviços de limpeza pública de Aracaju estão precários. Nós temos de aguardar as investigações e seguir rigorosamente o que determina a lei. Não podemos fazer mágica. Esse é o contrato que temos e o que temos de seguir", assentiu.

Sindilimp - O Sindicato dos Empregados da Limpeza Pública e Comercial de Sergipe (Sindelimp) informa que já está ciente da Operação Babel, deflagrada pela Polícia Civil sergipana na manhã desta terça-feira, 21. O sindicato desconhece as circunstâncias que o envolvem na investigação, mas se dispõe a contribuir com o trabalho da polícia no que lhe compete.

O sindicato aguarda novas informações a respeito da Operação, o que deve acontecer nesta quarta-feira, 22.