Edvaldo: “Estou há menos de 90 dias na PMA. Preciso de tempo para resolver tudo”

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O prefeito Edvaldo Nogueira. Foto: Janaína Santos
O prefeito Edvaldo Nogueira. Foto: Janaína Santos

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 28/03/2017 às 00:29:00

O prefeito Edvaldo Nogueira aproveitou a inauguração do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) do bairro Olaria – a 1ª obra da nova gestão –, na última sexta-feira (24), para comentar os recentes fatos envolvendo a administração municipal. Em seu discurso, ele alfinetou a oposição e disse estar “acompanhando de perto” a polêmica do lixo. Também pediu o fim da greve dos médicos, que já dura mais de dois meses.

 “Estou há menos de 90 dias à frente da gestão. Encontrei a prefeitura numa situação de dificuldade de quatro anos, então preciso de um tempo para colocar tudo em ordem. 2017, sabíamos, é o ano da dificuldade. Mas acredito muito no trabalho que estamos realizando. Arregaçamos as mangas e estamos reconstruindo Aracaju. Sou um otimista e tenho coragem para enfrentar os problemas. Cumprirei todos os compromissos firmados na campanha eleitoral”, disse.

Ele destacou ações positivas do seu governo, como a regularização dos salários dos servidores, a entrega de obras e o abastecimento dos postos de saúde com medicamentos. “Enquanto eles [a oposição] falam, eu realizo. Estou fazendo, entregando obra para o povo de Aracaju, como esta praça, que iniciei em 2012, no meu governo anterior, mas o prefeito passado não deu continuidade. Assim que assumimos, em janeiro deste ano, priorizamos a finalização e já estamos entregando este importante espaço de lazer e cultura para a comunidade da Veneza”, afirmou o prefeito, ao destacar a inauguração do CEU, que recebeu o nome do ex-vereador Abrahão Crispim, falecido em fevereiro.

 

Lixo e Greve dos Médicos - Ao comentar a crise do lixo, Edvaldo reconheceu que a coleta não tem sido feito de maneira satisfatória, mas disse acreditar que o problema será resolvido em breve. “Estamos cuidando da limpeza. Até o final do mês, a gente resolve este problema. Não está boa a coleta. É preciso melhorar o serviço, com a atuação de uma empresa que trabalhe e limpe a cidade, que limpe os canais. Mas estamos aguardando uma decisão da Justiça. Estou acompanhando de perto, diuturnamente a questão. Queremos que se resolva o mais rápido possível”, afirmou.

Em seu discurso, Edvaldo falou ainda da greve dos médicos. “Também estamos trabalhando para recuperar a saúde. Começamos a colocar remédios nos postos. Até o final do mês, 94% dos medicamentos obrigatórios já estarão disponíveis para a população. Mas, infelizmente, os médicos ainda estão em greve, mesmo após 60% deles já terem recebido o salário do mês de dezembro, que é o motivo alegado para a paralisação. Também pagamos o 13º salário e os vencimentos de janeiro e fevereiro a 100% dos médicos. Por isso, faço um apelo para que eles voltem ao trabalho, para que a sociedade seja bem atendida”, disse.

 

"Priorizei o servidor" - O prefeito voltou a lembrar que já regularizou o pagamento dos salários de todos os servidores. “Pagamos quatro salários em menos de dois meses. Isto significa R$ 240 milhões, recursos que dariam para construir outras 120 praças como estas ou fazer o recapeamento inteiro da cidade. Mas priorizamos o servidor, que merece o nosso esforço. Desde que assumi a prefeitura, estamos economizando para regularizar os pagamentos. Fizemos um esforço gigantesco. Estamos reconstruindo a nossa cidade”, ressaltou.