Desipe e PM fazem revista no Preslen e encontram telefones e armas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Aparelhos de celular e carregadores apreendidos no presídio de Glória. Foto: Divulgação
Aparelhos de celular e carregadores apreendidos no presídio de Glória. Foto: Divulgação

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 30/03/2017 às 00:13:00

A Secretaria de Justiça e Defesa do Consumidor (Sejuc), através do Departamento do Sistema Penitenciário (Desipe), fez ontem uma revista no Presídio Senador Leite Neto (Preslen), em Nossa Senhora da Glória,e apreendeu17 telefones celulares, 15 carregadores, três porções de maconha, 30 chunchos e facas, 106 chips de celulares e um balde com material para preparar bebida alcoólica. A direção da unidade abriu procedimento para investigar como esses produtos ilícitos entraram na prisão.

A operação ocorreu por volta das seis horas da manhã e foi realizada por agentes penitenciários lotados no Preslen, por integrantes do Grupo de Operações Penitenciárias Especiais (Gope), contando com o apoio da Companhia da Polícia Militar (PM) de Nossa Senhora da Glória e da Companhia Especializada em Operações em Área de Caatinga (Ceopac).   Estas unidades da PM atuaram na área externa da unidade prisional.

O secretário de Justiça, Cristiano Barreto, destacou o compromisso dos agentes penitenciários e diretores da unidade, além do apoio que vem recebendo a Secretaria de Segurança Pública (SSP). “Os nossos agentes penitenciários estão de parabéns pelo brilhante trabalho que fizeram esta manhã. A equipe estácoesa e comprometida com a segurança da unidade. Também quero agradecer o apoio que tivemos da Polícia Militar que é uma parceira de todas as horas.Estamos atuando juntos em defesa da sociedade sergipana”, ressaltou Cristiano.

Desde que assumiu a pasta da Sejuc, ha pouco mais de dois meses, o secretário Cristiano Barreto determinou a realização de revistas nas nove unidades prisionais de Sergipe. Para ele, esse trabalho é de vital importância para manter a segurança dentro dos presídios.  O Preslen, alvo da operação de hoje, abriga 290 internos sentenciados e a capacidade é para 201 presos.