Jackson anuncia pagamento da última parcela do 'Mão Amiga' para esta sexta, 07

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Jackson Barreto cumprimenta participante de seminário. Foto: Marcelle Cristinne/ASN
O governador Jackson Barreto cumprimenta participante de seminário. Foto: Marcelle Cristinne/ASN

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/04/2017 às 00:37:00

O governador Jackson Barreto foi até a região Centro-Sul sergipana nesta terça-feira (04) para participar de mais capacitações dos seminários do Programa Mão Amiga Citricultura ao lado dos trabalhadores rurais. Desta vez, receberam a ação os municípios de Lagarto, Riachão do Dantas e Umbaúba.

Em Lagarto, Jackson informou aos agricultores que na próxima sexta-feira, 07, eles receberão a última parcela desta edição do programa. “Podem ir ao banco retirar. Nesse momento de dificuldades, os assessores chegam para nos dizer que os recursos do Estado caíram, que temos que parar obras e me questionam sobre o Mão Amiga. Mas digo que esse programa não se corta, pois não é obra de cimento, tijolo, telha e madeira. É um programa de consciência, coração e respeito às pessoas. O Mão Amiga é uma conquista dos trabalhadores do campo. É uma transferência de renda que vem somar a outros programas sociais, como o Bolsa Família e outras conquistas dos trabalhadores. Por maiores que sejam as dificuldade, o Governo não vai cortar o programa”.

Jackson destacou ainda sua intenção de ampliar o Mão Amiga. “Conversei com Fábio [Reis] para conseguirmos os recursos do Ministério do Trabalho. Queremos ampliar o Programa e vamos garantir os recursos. É preciso que pensemos na possibilidade de ofertarmos cursos de pragueiro [de manejo de pragas] para qualificação da mão de obra na agricultura; sobre o uso de EPI [equipamentos de proteção individual]; corte e costura e cabeleireiro para qualificar pessoas do Mão Amiga”, sugeriu o governador, que ainda falou da importância de visitar cada município para dialogar com os beneficiados.

O governador destacou o volume de investimentos no programa. "Muitas vezes as pessoas não sabem que na região de citricultura, desde que o programa foi criado, já investimos R$ 25 milhões. Não é apenas em Riachão do Dantas. Se você chegar em Itabaianinha há 800 famílias beneficiadas, em Umbaúba são 600. Em Lagarto, foram 500 famílias. São recursos do tesouro do Estado. O dinheiro está espalhado no meio do povo simples, que precisa de atenção do governo".

Por meio dos seminários, os catadores de laranja recebem orientações sobre o programa, informações a respeito de outros benefícios públicos e sobre o desenvolvimento do cultivo da laranja no município. A presença do trabalhador é fundamental, pois sua participação é pré-requisito para a manutenção do benefício no Programa. O beneficiário que não puder comparecer ao evento deve enviar um membro da família munido da carteira de identidade da pessoa que cadastrada no programa.

Com a realização da ação em Lagarto e Riachão, já foram realizados seminários em 13 municípios com agricultores familiares beneficiários do Programa Mão Amiga Laranja. O 14°, e último, município a receber a capacitação nesta edição será Umbaúba, na tarde desta terça. Na última terça, 28 de março, Cristinápolis recebeu a ação. Já na sexta, 31, foi a vez de Estância e Indiaroba. Anteriormente, as palestras foram realizadas em Itaporanga, Salgado, Boquim, Arauá, Pedrinhas, Tomar do Geru e Itabaianinha.

O ‘Mão Amiga’ busca fortalecer a cidadania, através dos seminários, e minimizar os efeitos do desemprego, concedendo um benefício de R$ 760, dividido em quatro parcelas de R$ 190. Para receber o pagamento, as famílias de catadores de laranja precisam estar inscritas no Cadastro Único do Governo Federal para benefícios em programas sociais. As parcelas são pagas como complementação de renda durante a entressafra da citricultura e da cultura da cana de açúcar.