Propriá: Feirantes buscam ajuda dos vereadores contra suposto projeto que visa mudança da feira livre

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 05/04/2017 às 00:43:00

A Sessão Ordinária realizada na ultima quinta-feira (30), teve um fato atípico, o Presidente da Câmara Municipal, José Aelson (PSD), solicitou a quebra do interstício regimental para ouvir a participação dos feirantes, onde foi aprovado por unanimidade.  Durante o ato, José Aelson justificou que, “Hoje não iríamos ceder a Tribuna Livre, mas diante do fato que chama atenção, as boatarias nas ruas, a gente precisa ouvir a sociedade, pois essa casa é lugar do povo e vamos discutir os problemas.”

O Sr. Eronildes Ferreira de Lima, de 59 anos, tem uma banca na Avenida Augusto Maynard, representando todos os feirantes, assumiu a Tribuna do Plenário Luiz de Medeiros Chaves para tratar sobre o projeto de transferência da feira livre, idealizado pelo Secretário Municipal de Indústria, Comércio e Desenvolvimento Sustentável, José Manuel.

"Viemos por conta do anúncio do novo projeto para Propriá, que não é viável para os feirantes, talvez seja viável para os lojistas. Não somos contra que Propriá se desenvolva, só não queremos ser prejudicados, tudo isso nos levou a vir aqui. Muitos feirantes já viram, mas nenhum aprovou. O que se fala é em se desmanchar todo o projeto Martinho Guimarães, Tavares de Lyra e Augusto Maynard.”, afirmou o feirante na Tribuna. O atual projeto das barracas custou cerca de R$ 6.000.000,00 (seis milhões) aos cofres públicos e tem pouco mais de 10 anos da sua entrega.

O Vereador Nêgo de Marli (PTdoB) iniciou as discussões. “É um problema delicado e devemos ver com paciência, o projeto tem que ser discutido amplamente para que todas as partes sejam beneficiadas, tanto feirantes, quanto lojistas.”, finalizou.

Ainda em debate, a vereadora Dilma da Colônia comentou sobre a atual mudança, “Essa Casa vai avaliar se a mudança traz realmente benefícios para os feirantes". O Vereador Heldes Guimarães completou, “Não tenha dúvidas que essa casa aprovará por unanimidade o que for melhor para vocês”, finalizou.

O líder do Poder Executivo da Câmara Municipal, Vereador Pequeno (PPS), afirmou que foi pego de surpresa com essa notícia de transferência da feira livre, mas firmou que ficará do lado dos feirantes. “Eu também sou feirante e sei das dificuldades que nós passamos para conseguir conquistar o dinheiro do pão diariamente. Nós não estamos aqui para defender interesses pessoais, estamos a favor de vocês.”, enfatizou o Vereador Junior de São Miguel (PHS).