Greve dos médicos em Aracaju irá completar 80 dias

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 06/04/2017 às 00:48:00

A Prefeitura de Aracaju e a promotoria do Ministério Público Federal (MPF) vão aguardar a sentença do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ/SE), quanto ao pedido de ilegalidade da greve, para somente em seguida se pronunciar sobre a greve dos médicos que completará esta semana 80 dias de paralisação. A decisão foi pontuada após reunião realizada no Centro Administrativo Aloísio Campos entre o procurador federal Ramiro Rockenbach, e o prefeito Edvaldo Nogueira. Sem apresentar maiores detalhes do encontro, o órgão federal informou apenas que continuará acompanhando os desdobramentos da situação.

Por sua vez, membros do Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (Sindimed)seguem buscando o apoio dos órgãos de fiscalização e proteção dos direitos trabalhistas a fim de garantir o repasse integral do salário referente ao mês de dezembro do ano passado. Até o momento cerca de 200 médicos seguem de braços cruzados por não aderirem à proposta de parcelamento em 12 prestações, nem a opção de empréstimo bancário com ônus tarifário pago pela administração municipal.

Mesmo com metade da categoria e mais 88 médicos temporários se desdobrando para atender a demanda, as 43 unidades administradas pela Secretaria Municipal de Saúde continuam inviabilizando o serviço para milhares de pessoas todos os dias. "Respeitamos quem decidiu aceitar a proposta lamentável da prefeitura, mas seguimos firmes defendendo o direito daqueles que estão lutando para receber o salário atrasado de forma integral, ou em até quatro prestações como já propomos ao poder executivo municipal. A greve continua por tempo indeterminado e esperamos que o TJSE, MPF, MPE e TCE ajuízem ações a favor do cidadão trabalhador que segue prejudicado pela prefeitura", declarou o presidente sindical João Augusto. (Milton Alves Júnior)