Edvaldo aponta incoerência da oposição e defende seus 100 primeiros dias de governo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/04/2017 às 00:23:00

O prefeito Edvaldo Nogueira apontou, nesta quinta-feira (6), durante entrevista à rádio Fan FM, as incoerências de políticos da oposição e rebateu as críticas feitas pelo senador Eduardo Amorim e pelo deputado federal Valadares Filho, em relação ao seu governo. O gestor municipal fez ainda um balanço dos três primeiros meses do seu mandato e destacou as ações que estão sendo desenvolvidas pela prefeitura de Aracaju.

Para o prefeito, Valadares Filho “ainda não se conformou com a derrota eleitoral”. “Este é um fato objetivo. Há da parte dele uma raiva contida, uma esperança de que dê tudo errado na cidade. Ele torce pelo caos, para que Aracaju se torne problemática”, disse Edvaldo, que chamou a atenção para a falta de coerência política do deputado do PSB em duas recentes votações na Câmara Federal.

 

“Na votação do projeto de terceirização, ele se ausentou, alegando que estava gripado. Desde quando, uma gripe impede alguém de votar, ainda mais sobre um tema tão importante para o trabalhador? Já na semana passada, ele votou contra os estudantes brasileiros, ao ser favorável à cobrança de mensalidade a estudantes que cursam pós-graduação em universidades públicas. Ou seja, para Valadares Filho, o estudante das classes menos favorecidas não pode ter o direito de fazer mestrado e doutorado. É uma incoerência muito grande com o que ele diz defender”, criticou.

Já em relação ao senador Eduardo Amorim, o prefeito definiu o mandato do parlamentar como “decepcionante”. “Ele já tem quase oito anos de mandato de senador e é a maior decepção do Estado. O que foi que ele fez por Sergipe? Que projetos, ele defendeu? Que grandes obras, ele trouxe para a cidade? Compare os meus seis anos e nove meses como prefeito e o mesmo período de mandato dele como senador. É decepcionante a atuação dele”, afirmou.

Para Edvaldo, Amorim não tem tido competência nem mesmo para liderar a oposição. “Veja a confusão da oposição. Está esfacelada, porque não tem líder. Ele está mais preocupado em disputas contra o governador, o que tem prejudicado Sergipe. Em vez de se unir à bancada federal e defender os interesses do Estado, ele fica na posição de não participar dos eventos do governador, como foi agora no encontro de Jackson Barreto com André Moura. Ao invés de se preocupar com o meu mandato na prefeitura, ele se preocupe em liderara a oposição e fazer o trabalho dele de senador”, ressaltou.

O prefeito de Aracaju cobrou ponderação dos seus adversários. “Nosso governo está apenas no começo. Já realizamos muito, então é preciso que Amorim e Valadares sejam mais moderados e façam a política justa. Aracaju precisa de união, de que os políticos se unam em defesa dos interesses da cidade”, defendeu.