SSP diz que pesquisa mexicana tem “série de equívocos”

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/04/2017 às 00:53:00

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) rebateu as críticas feitas pelo relatório da ONG mexicana Seguridad, Justicia y Paz, que colocou Aracaju como a 12ª cidade mais violenta do mundo. Em nota divulgada no começo da tarde, o órgão apontou que a pesquisa é “frágil” e apresenta “uma série de equívocos constantes”, principalmente quanto à metodologia do levantamento, apontando que “todos os números ocorridos por morte violenta trazidos à luz da pesquisa correspondem aos anos de 2015 e até o de 2014”, mesmo tendo 2016 como espaço temporal de pesquisa. A SSP negou ainda as acusações de falta de transparência na divulgação dos dados sobre os homicídios no Estado, afirmando que os pesquisadores sergipanos não fizeram nenhum tipo de contato formal e oficial.

“Os números de homicídios não possuem origem comum, tendo como fonte de pesquisa portais de notícias aleatórios, oscilando entre fontes oficiais nacionais e sites de notícias local. Entretanto, a ONG não entrou em contato com a principal fonte dos dados apresentados, que seria a Secretaria de Segurança Pública do Estado de Sergipe; A ONG aponta equivocadamente que o site da SSP/SE está constantemente fora do ar, demonstrando a tentativa de desqualificar o trabalho da instituição. (...) A SSP/SE não utiliza a prerrogativa de buscar subterfúgios para maquiar dados sobre os crimes que ocorrem no estado”, afirma a nota oficial.

A secretaria esclarece que os dados de homicídios e as chamadas ‘manchas criminais’ são analisados pelos gestores em encontros semanais que cruzam as informações disponibilizadas pelo Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), delegacias e IML, fazendo a partir daí as estratégias de segurança pública para Sergipe. E ressaltou que o trabalho já resultou em uma queda de 19,8% sobre os homicídios no primeiro trimestre de 2017. “Comparando-se os 275 homicídios deste ano, com as 343 mortes violentas em 2016, número ainda mais abaixo dos 329 em 2015. Ou seja, o trabalho vem sendo feito de forma gradual, porque é pautado no compromisso com a população sergipana” rebate a SSP.

 

FGV – Sobre a pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, a SSP destacou que tem conhecimento dos números de homicídios registrados no ano de 2015 em Sergipe e tomou medidas para reduzi-los. “Diversas ações foram implementadas pela atual gestão da SSP desde o ano passado com o intuito de reduzir os casos de homicídios dolosos no estado. Prova disso foi a redução de 19,8% no número de homicídios no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, menor índice registrado no mesmo período dos últimos três anos”, disse à assessoria do órgão, em nota enviada ao JORNAL DO DIA. Ela conclui informando que “continuará desenvolvendo ações integradas entre os órgãos da Segurança Pública com o intuito de combater e minimizar os registros de violência em todo o estado”.