Betinho não é mais técnico do Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O jovem Caio Simões comandou os trabalhos do Sergipe na tarde desta segunda-feira durante a apresentação do elenco. Foto: Divulgação
O jovem Caio Simões comandou os trabalhos do Sergipe na tarde desta segunda-feira durante a apresentação do elenco. Foto: Divulgação

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/04/2017 às 00:29:00

Givaldo Batista - givaldobs@yahoo.com.br


Sábado logo após o empate do Sergipe como Frei Paulistano, o presidente Silvio Santos, mais preocupado com os problemas da arbitragem, foi questionado várias vezes sobre e o futuro do treinador Betinho, pois àquela altura já se previa a queda do treinador. Mas o presidente respondia que Betinho continuaria na equipe, que ele e os jogadores eram os menos culpados. “Betinho e os jogadores estão cumprindo o seu papel. As arbitragens é que estão nos prejudicando”, dizia Silvio Santos, deixando transparecer a estabilidade do treinador no cargo.

Mas na manhã desta segunda-feira, depois de uma reunião dos dirigentes com o treinador, o desfecho foi a demissão do treinador Betinho, que deixa o Sergipe após cinco meses de trabalho à frente da equipe.

Durante a reunião, a diretoria rubra e após uma conversa com o treinador, agradeceu os serviços prestados por Betinho no time vermelho e definiu que a ´partir daquela data, era não era mais o treinador da equipe.

Betinho foi contratado ainda no ano passado, quando os dirigentes colorados estavam atuando na composição da comissão técnica para esta temporada. O treinador foi contratado com o histórico de ter conquistado um bicampeonato estadual (2014 e 2015) e um acesso à Série C do Brasileiro também em 2014, pelo maior rival, o Confiança.

Betinho comandou o Sergipe durante cinco meses, onde disputou três competições: a Copa do Nordeste levando o time às quartas de final, a Copa do Brasil num único jogo frente ao Bahia, onde foi derrotado, além de ter classificado a equipe para o hexagonal decisivo do Estadual.

No total deste período foram disputados 24 jogos nas três competições, dos quais foram obtidos 11 vitórias, 6 empates e 7 derrotas. No hexagonal decisivo a equipe realizou seis jogos, onde disputou 18 pontos e só obteve 9, perfazendo um percentual de 50% de aproveitamento, o que deixa a equipe na terceira colocação, restando apenas quatro jogos para o fim desta fase.

Outro detalhe, é que sobre o comando técnico de Betinho o Sergipe realizou quatro clássicos no Estadual, sem conseguir vencer, foram três empates e uma derrota. Junto com o treinador, o auxiliar técnico Omar Curi também deixa o clube. 

Novo treinador– Até o final da tarde desta segunda-feira 10, nada definido em termos do nome do substituto. Ramon Barbosa é o responsável pela negociação e o nome de Marcelo Vilar é o mais cotado para ser anunciado na manhã desta terça-feira.

- O Ramon Barbosa dependendo de um telefonema. Tão logo a gente seja autorizado a divulgar o nome, colocarei no grupo do Sergipe, disse Felipe Martins, assessor de comunicação da equiperubra.

O novo técnico já deverá estar nesta terça-feira à tarde comandando a equipe no treino com bola que será realizado no Estádio João de Oliveira às 15h30. Junto com o treinador virá um novo auxiliar técnico. Para o treino desta segunda-feira no mesmo local e horário, a equipe será comandada por Caio Simões que é treinador da base.

O Sergipe volta a campo nesta quarta-feira, 12, às 20h30, na Arena Batistão, em Aracaju, quando enfrentará o Itabaiana, líder do hexagonal com 16 pontos, em partida válida pela sétima rodada, onde o Mais Querido vai tentar a sua primeira vitória em clássicos, na busca por reagir na competição.