Empresário é acusado de tentar matar oficial de justiça

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
As armas foram apreendidas pela polícia. Foto: Divulgação/SSP
As armas foram apreendidas pela polícia. Foto: Divulgação/SSP

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/04/2017 às 00:36:00

A Polícia Civil prendeu na manhã de ontem o empresário Adilson Silva, acusado de ameaça e tentativa de homicídio contra um oficial de justiça que esteve em sua residência, num condomínio fechado do bairro Mosqueiro (zona de expansão de Aracaju). O episódio, ocorrido na última semana, foi investigado pela Delegacia Especial de Turismo (Detur), resultando em um mandado de busca e apreensão expedido pela 8ª Vara Criminal de Aracaju e cumprido com o apoio do Grupo Especial de Repressão e Busca (Gerb). Na casa de Adilson, foram apreendidas três pistolas semiautomáticas calibre 380 e mais de 45 munições.

De acordo com o delegado Abelardo Inácio, da Detur, as investigações começaram na última segunda-feira, quando o oficial procurou a delegacia e relatou que Adilson teria tentado contra a vida dele ao tentar cumprir uma intimação expedida para ele, dentro de uma ação cível. “Após o oficial de justiça tentar intimar judicialmente Adilson, este o teria ameaçado com uma arma de fogo. Diante da situação, o oficial de justiça acabou fugindo, mas foi perseguido pelo empresário até as proximidades da Praia de Atalaia. Adilson ainda conseguiu alcançar o oficial e chegou a disparar contra ele, mas a munição acabou falhando, e felizmente não feriu o oficial de justiça”, explicou Inácio.

Ainda segundo Abelardo, o início da perseguição foi gravado por uma câmera de segurança próxima ao condomínio e ficou confirmado também que uma das pistolas apreendidas foi a arma utilizada na perseguição ao oficial. “Não existe razoabilidade para que um cidadão que se diz empresário possa ter em sua casa tanta arma e tanta munição assim. Ele está praticamente preparado para uma guerra”, criticou o delegado, em entrevista à rádio Mix FM. O mandado de busca foi cumprido ao clarear do dia e o empresário não reagiu à prisão. Adilson foi autuado em flagrante pelo crime de porte ilegal de arma de fogo, podendo ser ainda indiciado por tentativa de homicídio. (com SSP)