João Daniel defende realização de debates para população conhecer proposta de reforma Previdenciária

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/04/2017 às 00:54:00

A mobilização que tem sido puxada pelas Câmaras de Vereadores de Sergipe para debater a proposta de reforma da Previdência e os efeitos que causará aos municípios caso seja aprovada foi, mais uma vez, destacada pelo deputado federal João Daniel (PT/SE), em discurso na Câmara. Na sessão dessa quarta-feira, dia 12, o parlamentar registrou a audiência pública realizada na sessão do Parlamento municipal de Nossa Senhora da Glória, na última quinta-feira, numa iniciativa do vereador Flávio do PT.

 “Tivemos a oportunidade de estar na Câmara de Glória participando desse grande debate e parabenizo a iniciativa do vereador Flávio, que contou com o apoio dos outros vereadores. A sociedade de Glória se posiciona contrária à reforma da Previdência porque sabe o que ela causará ao Alto Sertão e, em especial, àquela cidade de Nossa Senhora da Glória”, disse o deputado.

Participaram da audiência púbica a presidenta da Câmara, Vaneide de Nivaldo da Feirinha, além das vereadoras Maraysa de Ancelmo, Ivone das Aningas Arielle e os vereadores Junior Gazeta, Dudu, Astrogildo da Saúde, Professora Nininha do PT, Tita, Tatiu de Humberto Ribeiro, Gaguinho, Icinho Taxista. Também estiveram presentes o prefeito Chico do Correio, representantes e movimentos sociais, como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), representado por Seu Humberto, sindicatos rurais, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e estudantes.

 Segundo o deputado João Daniel, a população precisa conhecer tudo que está nessa proposta de reforma da Previdência, pois vem mexer em direitos seus. “Mas a maioria do nosso povo não sabe disso. Nessas atividades que temos participado temos explicado para a população que essa reforma quer acabar com a aposentadoria rural, quer igualar a idade mínima de aposentadoria entre mulheres e homens para 65 anos, querem que o trabalhador contribua para previdência por 49 anos para que consiga receber o valor integral de aposentadoria”, disse, ao acrescentar que essa proposta faz parte do pacote de maldades que é complementado pela emenda do teto de gastos e a reforma trabalhista.

 Enquanto isso, ressaltou o deputado, esse governo se cala sobre os R$ 426 bilhões que não são repassados pelas empresas ao INSS. De acordo com João Daniel, o valor dessa dívida equivale a três vezes o chamado déficit da Previdência em 2016 e foi levantado pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN). “Por isso temos conversado com a população, explicado o que realmente pode acontecer caso essa proposta seja aprovada, assim como chamado o povo para ir às ruas lutar e pressionar o Congresso para rejeitar essa proposta”, destacou.