Dono da Torre é internado e defesa tenta outro habeas corpus

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 18/04/2017 às 00:33:00

O empresário José Antônio Torres Neto, dono da Torre Empreendimentos, preso desde o último dia 9, está internado desde o último sábado no Hospital de Cirurgia, bairro Cirurgia (zona centro). Na noite da Sexta-Feira da Paixão, enquanto estava detido na 8ª Delegacia Metropolitana (8ª DM), ele se queixou de dores fortes no peito e no braço esquerdo. O empresário foi levado à Ala Azul do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), estabilizado e medicado durante a noite. Na manhã seguinte, houve a transferência do paciente para o Cirurgia. Ontem, a assessoria do hospital confirmou que José Antônio sofreu um princípio de infarto acompanhado por uma crise de hipertensão.

O quadro foi atestado por exames de laboratório e de eletrocardiograma. Em seguida, ele foi encaminhado para a realização de um cateterismo, que é um exame detalhado das artérias cardíacas. Até a tarde de ontem, de acordo com o boletim médico divulgado pelo Cirurgia, o paciente aguardava a liberação do exame e permanecia consciente, lúcido, orientado e sem queixa de dores, mas sob observação médica. Ele foi internado em um apartamento da ala de convênios do hospital, mas, por estar sob custódia da Polícia Civil, permanece vigiado no quarto e nos corredores por pelo menos sete agentes do Grupo Especial de Repressão e Buscas (Gerb).

Torres cumpre uma ordem de prisão preventiva expedida pela 3ª Vara Criminal de Aracaju, acusado de fraude processual majorada e investigado dentro do inquérito da ‘Operação Babel’, que apura denúncias de fraudes e superfaturamento em contratos de coleta de lixo que envolvem a Torre e a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb). A polícia afirma que o empresário tentou descartar seus telefones celulares pessoais por duas vezes, entregando outros aparelhos para apreensão. A defesa, porém, nega as acusações e argumenta que ele sempre esteve disposto a colaborar com as autoridades judiciais e policiais.

Ainda na noite da sexta-feira, os advogados de José Antônio impetraram um habeas-corpus pedindo a conversão da prisão preventiva em prisão domiciliar, com base no relatório médico do Cirurgia. Ele está sob análise da desembargadora Ana Lúcia Freire dos Anjos, do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE). A magistrada já negou um primeiro pedido semelhante da defesa, argumentando que a liberdade do dono da Torre representa “risco concreto de novas práticas de atos de obstrução [de justiça]” e risco “à eficácia da investigação criminal”. Outra liminar foi impetrada na quinta-feira passada, antes da internação, na própria 3ª Vara Criminal, mas negada pelo juiz Herval Márcio Silveira Vieira, com o argumento de que o pedido não se enquadrava nas hipóteses previstas em uma resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).