Secretário da Seplag discute com dirigentes do Sinpol pleito da categoria

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/04/2017 às 00:07:00

No início da tarde desta quarta-feira (19) o secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag), Rosman Pereira, recebeu na sala de reuniões os dirigentes do Sindicato dos Policiais Civis de Sergipe (Sinpol). Na pauta, discussão das reivindicações da categoria com o novo gestor da pasta.

Na reunião, o presidente do Sinpol, Alexandre Fernandes, informou ao novo secretário o pleito da categoria que vem sendo discutido desde o ano passado. Destacou os três: reestruturação da carreira, reenquadramento e venda de licença prêmio para aqueles policiais que deram entrada no pedido antes do projeto de lei do Poder Executivo proibindo a sua venda.

Na oportunidade, Alexandre apelou para o fato de não haver tratamento diferenciado nas reivindicações dos policiais civis e dos delegados de polícia, que pleiteiam equiparação salarial com a Procuradoria Geral do Estado (PGE).  

O secretário disse que vai conversar com a PGE para ver como anda o processo de reenquadramento dos policiais e escrivães e saber o que tem de limite financeiro para negociar.

Ressaltou que diante do pleito fará um cálculo de impacto na folha salarial do servidor para subsidiar o governo naquilo que possa atender a categoria, mediante a situação financeira do estado em decorrência da crise econômica que assola o país. 

Rosman finalizou a reunião dizendo que não vai faltar boa vontade para tratar das demandas da categoria e que não tratará de forma desigual o pleito dos policiais e delegados.

Participaram também da reunião a superintendente Executiva da Seplag, Lucivanda Rodrigues, e o assessor especial Wilden Júnior.

Na oportunidade, Lucivanda lembrou que o governo sempre deu atenção à categoria, já tendo feito a reintegração de 15 servidores; ter estendido subsídios para agentes auxiliares da polícia, cuja lei foi aprovada no final do ano passado; e efetuou o pagamento das diferenças salariais em virtude da implantação de subsídios em junho de 2016.