Adolescentes atiram rojão contra ônibus escolar

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/05/2017 às 00:09:00

Gabriel Damásio

 

Uma suposta rivalidade entre duas escolas da zona sul de Aracaju quase acabou em tragédia no final da tarde desta quinta-feira. Dois estudantes do Colégio Estadual Nelson Mandela, no Luzia, foram detidos em flagrante depois de dispararem um rojão contra um ônibus que transportava alunos do Colégio Estadual Gonçalo Rollemberg Leite, no Grageru. O incidente aconteceu no bairro São Conrado, por volta das 17h30 quando os alunos retornavam das respectivas escolas para suas casas. Uma estudante foi atingida nas costas e foi levada a um pronto-socorro com queimaduras leves. Outros alunos tiveram apenas escoriações.

Já os menores foram autuados em flagrante por ato infracional análogo à tentativa de homicídio. Ontem de manhã, eles foram apresentados à Promotoria da Vara da Infância e Juventude de Aracaju, que concedeu-lhes o direito de responder ao processo em liberdade, convocando-os para uma audiência de instrução. 

O caso foi relatado em três boletins de ocorrência prestados na Delegacia Plantonista Sul (Augusto Franco). Em comum, os depoimentos relatam que os responsáveis pelo disparo estavam em outro ônibus escolar, que transportava alunos do Mandela. Quando o veículo se aproximou do ônibus com os alunos do Gonçalo, o primeiro aluno abriu uma janela lateral e permitiu que o segundo acendesse o fogo de artifício, conhecido como ‘pistolão’. O artefato estourou e atingiu uma janela traseira do outro veículo, que absorveu a maior parte do impacto. Mesmo assim, os alunos que estavam sentados no local também foram atingidos, em sua maioria pelos estilhaços.

A estudante que ficou ferida nas costas foi socorrida, enquanto o outro colega teve a camisa queimada na altura do peito e queixou-se de dores na cabeça e no ouvido, provocados pelo barulho do estouro do rojão. O motorista do ônibus do Mandela fechou as portas do veículo, impedindo que alguém descesse, e só as abriu após a chegada da Polícia Militar, que foi chamada pelos colegas da estudante atingida. Em seguida, os envolvidos foram levados para a Plantonista Sul. Os dois autores do disparo foram apontados e reconhecidos por pelo menos dois passageiros do outro coletivo.

Em depoimento, o motorista do ônibus do Gonçalo Rollemberg disse que esse tipo de episódio costuma acontecer várias vezes, quando os estudantes Nelson Mandela passam de ônibus e arremessam pedras ou outros objetos contra os passageiros, mas não soube dizer se isso acontece por causa de uma suposta rivalidade entre escolas. Ele destacou ainda que os fogos de artifício têm potencial para provocar a morte de uma pessoa, quando são atirados contra ela. Dois casos semelhantes foram citados: o do jovem boliviano Kevin Espada, atingido por torcedores do Corinthians em um estádio de futebol na cidade de Oruro (Bolívia), em 2013; e o do cinegrafista Santiago Andrade, da Rede Bandeirantes, atacado por dois manifestantes anarquistas durante um protesto no Rio de Janeiro, em 2014.

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação (Seed) informou que “o Núcleo de Prevenção à Violência, a Divisão de Transporte e a Diretoria de Educação de Aracaju, em consonância com os Colégios Estaduais Nelson Mandela e Gonçalo Rollemberg, estão tomando as providências no sentido de resguardar a proteção dos alunos que compartilham do transporte escolar das unidades escolares envolvidas”.

Também foi informado que a direção da Nelson Mandela,”tão logo soube do fato, acionou a rede de proteção à criança e ao adolescente, acompanhou os alunos envolvidos no fato, e por se tratar de adolescentes, comunicou aos pais e vem prestando à devida atenção necessária”, e que “medidas de segurança estão sendo tomadas no sentido de garantir a proteção aos envolvidos e resguardar o transporte de forma segura”.