Teoria do Universo Quadrado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/06/2017 às 08:30:00

Rômulo Rodrigues

 

Se alguém pensa que já ouviu todas as asneiras do mundo ditas por Dallagnol e repetidas pela Globo; ou vice-versa; ou versa-vice, está redondamente enganado, face aos últimos acontecimentos.

Para bem homenagear a dupla mor do humor do momento, vale contar uma piada que rola por aí sobre o mineirinho.

Dizem as boas línguas que estando o Senador afastado curtindo sua prisão domiciliar e praticando seu passatempo predileto, que é assistir aos noticiários da sua ex-patrocinadora, Globomente, quando aparece na telinha uma reportagem inusitada sobre um dentista de BH preso por tráfico de cocaína.

Para surpresa de um assessor, que estava ao seu lado, ele diz; puxa vida, há anos que sou cliente desse cara e só agora fiquei sabendo que ele é dentista.

A piada pode até ser considerada de mau gosto, ou imprópria para o momento. Mas, se Dallagnol pode contar as suas com cobertura midiática, sinto-me no direito de contar a minha. Ou existe alguma mais sem graça do que a dele, que mais parece uma declaração de quem acredita na Teoria do Universo Quadrado?

Para melhor compreender as alegações finais dele contra Lula, é preciso fazer um esforço muito grande para não compreender que este considera que somos todos imbecis e midiotizados.

Querer que a Teoria do Universo Quadrado expressa no desmoralizado Power Point e transformada em um livro que, seguramente, precisa ser muito imbecil para comprar e duplamente para ler, sirva de libelo acusatório para condenar e prender o melhor Presidente da história do Brasil, cujo único crime, para ele, foi ter sido Presidente; fala sério.

O momento conjuntural do País exige o máximo de seriedade e mesmo assim a Globo mantém a sua tradição de mentir, endeusar quem mente e, quando bate algum arrependimento, inventa verdades.

Vejamos o festival de invenções da verdade que ela usou no caso do homem da mala de dinheiro sujo de carne fraca. O tempo todo ela usou e abusou de propagar que o Rocha Loures era suplente de Osmar Serraglio, como se fosse uma verdade absoluta.

Vamos aos fatos reais: em 2014 o PMDB do Paraná não fez coligação proporcional e elegeu uma bancada de quatro Deputados Federais, pela ordem de votação; João Arruda, Hermes Frangão, Osmar Serraglio e Sergio Souza, ficando na primeira suplência da bancada o famigerado Rodrigo Rocha Loures, que por não ter sido eleito, virou assessor especial do temeroso, após o golpe.

Com a volta do Serraglio para a Câmara, qualquer um dos outros três que aceitassem ir para um Ministério daria a vaga para Loures e ele continuaria, por enquanto, com seu foro privilegiado.

E por que Temer não recorreu a esta solução, já que o cara tende a explodi-lo? Cabem duas respostas; a) porque nenhum dos outros três quer se contaminar e; b) a Globo estabeleceu que ele só é suplente de Serraglio.

Vamos dar uma ligeira passada pelo prontuário do Osmar Serraglio, que foi designado pelo Presidente mais impopular da história do Brasil, para substituir o outrora advogado do PCC, que foi tungado para Ministro do STF, por Temer.

Osmar Serraglio é Deputado Federal eleito pelo PMDB do Paraná e membro da República dos Ruralistas.

Votou contra a demarcação das Terras Indígenas; é inimigo declarado da Funai e defensor da alteração do Código Florestal, para favorecer o desmatamento e beneficiar o Agronegócio que é responsável por 66,6% dos Câncer de mama e de próstata, pelo uso dos defensivos agrícolas, altamente venenosos.

Sua campanha foi financiada pela Acenorte; Central de Cooperativas de Crédito do Paraná; Agroindustrial do Paraná; Cooperativa Central do PRSPRJ; Coopersucar e pela Porto Seguro.

Por ser totalmente financiado pelo Agronegócio e pertencer à Bancada do Boi, caracteriza-se por ser um raivoso inimigo do PT, Lula e Dilma; chegando a cair no ridículo na sua breve passagem pelo MJ.

Em meio a esse conturbado momento, vem à tona que a JBS patrocinou o impeachment, disponibilizando R$ 400 milhões para compra de votos, além de contratar o marqueteiro de Temer, Elsinho Mouco, para fazer toda a campanha de mídia e de rua. Neste período, o Loures fez uma visita ao Dallagnol que deve retribuir em breve.

Uma parte do ódio foi por causa de Dilma ter destacado duas mulheres para estancar duas sangrias; a) Kátia Abreu para barrar a JBS e b) Graça Foster para barrar a Odebrecht, duas empresas amigas da Globo.

O último ataque do homem do Power Point se dá quando o PT faz o maior congresso de sua história, com a participação de 595 delegados, maior e mais representativo que os 594 do Congresso Nacional, com respostas concretas de como vencer a crise política, e a República de Curitiba mostra sua visão de Universo Quadrado na tentativa de proteger seus golpistas da visão que terão ao verem o Sol nascer quadrado pelas janelas panorâmicas de suas celas.


Rômulo Rodrigues é militante político