O inferno astral de Edvaldo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 17/06/2017 às 00:18:00

O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) tomou posse no dia 1º de janeiro com a satisfação da vitória e o otimismo de que iria resolver os graves problemas de Aracaju, herdados do seu antecessor João Alves Filho (DEM). Logo no começo da gestão percebeu que o ‘rombo” da administração era de R$ 540 milhões.

Mesmo com as dificuldades nos primeiros dois meses de gestão - como lixo, ruas esburacadas e greve dos médicos - Edvaldo conseguiu pagar as duas folhas salariais deixadas por João Alves Filho, correspondente ao salário de dezembro e 13º. E vem conseguindo pagar dentro do mês o vencimento dos servidores públicos.

Os problemas do prefeito começaram a se agravar em março quando a Justiça determinou a suspensão do contrato emergencial da Emsurb  com a Empresa Torre, com a policia cumprindo mandado de busca e apreensão de contratos feitos pela Emsurb. Teve ainda o afastamento do presidente Mendonça Prado e toda a diretoria da empresa, além da aprovação, na Câmara Municipal, da CPI do Lixo.

Para piorar a situação, Edvaldo passou a ser investigado criminalmente por suposto uso de Caixa 2 na campanha eleitoral de 2016. Segundo a procuradora regional eleitoral, Eunice Dantas, às vésperas do 2º turno das eleições a empresa Torre sacou R$ 4 milhões do banco e é preciso saber para onde foi esse dinheiro.

Em meio a todos esses problemas com relação ao lixo de Aracaju, que continua sendo um problema com a Cavo, e a investigação criminal, o prefeito ainda enfrentou dificuldades com as fortes chuvas que caíram em Aracaju, inundando ruas e residências.

Também enfrentou problemas com a realização do Forró-Caju 2017.  Sem dinheiro, teve que procurar um adversário político, o líder do governo no Congresso Nacional, deputado federal André Moura (PSC), para reivindicar que viabilizasse a liberação de recursos de emenda federal para conseguir viabilizar a tradicional festa.

Depois que o dinheiro foi viabilizado, um montante de R$ 1,5 milhão, não teve como chegar aos cofres do município pelo fato da Prefeitura de Aracaju está inadimplente com a União, em razão do ex-prefeito João Alves não ter feito o repasse constitucional de 25% de verbas para a educação.

Com isso, uma das maiores festas juninas do país, o Forró-Caju, não será realizada este ano. Por ironia, exatamente no governo de Edvaldo, que na gestão anterior conseguiu fazer todos os anos um grande Forró-Caju, com recorde de dias e público.

Como se não bastasse, nessa véspera do feriado, o médico André Sotero renunciou ao cargo de secretário Municipal da Saúde. Um das razões teria sido a falta de autonomia para comandar a pasta e desconhecimento de algumas medidas adotadas. Mas uma crise para o prefeito administrar.

Trocando em miúdos, Edvaldo Nogueira está vivendo um inferno astral nesses primeiros seis meses de gestão. E a não realização do Forró-Caju é o menor dos seus problemas.

.........................................................................................................................

 

Crise na saúde 1

Ontem, em entrevista a imprensa, o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) disse que a saída do secretário André Sotero não é uma crise. “O que houve foi uma coisa natural. Ele não se achou mais em condições de continuar, tem os motivos dele, e, agora, cabe a mim agradecer o trabalho dele e escolher o novo secretário. Vou até caprichar mais: menos político ainda e mais técnico”, disse.

 

Crise na saúde 2

Edvaldo disse que até a próxima semana indicará o novo secretário da saúde, garantiu que a indicação será técnica e da sua escolha pessoal. Até a chegada do novo titular da pasta, responderá interinamente pela saúde Waneska Barboza, que é médica cardiologista e atua na Assessoria de Planejamento da secretaria.

 

Continua a disposição

O líder do governo no Congresso Nacional, deputado federal André Moura (PSC), lamentou que apesar dos seus esforços para a liberação de recursos junto ao governo federal para a realização do Forró-Caju 2017, a festa não será realizada pelo impedimento da Prefeitura de não poder receber as verbas por não dispor das certidões. Ressaltou que continua à disposição de Aracaju e que, inclusive, nos próximos dias estará se reunindo novamente com o prefeito Edvaldo Nogueira.

 

 Transferência para a orla

Com a não realização do Forró-Caju 2017 no mercado, a tradicional festa acabará sendo a do Arraiá do Povo, a ser realizada pelo Governo do Estado, na Orla de Aracaju, de 21 a 30 de junho. Em razão disso, segundo o secretário Neto Sales (Comunicação), o governo vai intensificar mais a segurança na área por acreditar em um público bem acima do esperado com relação aos anos anteriores.

 

Crise política 1

Com todas as confusões em Brasília, após a delação da JBS, o ex-deputado federal José Carlos Machado (PSDB) avalia que o seu partido a nível nacional tomou a decisão sensata em permanecer como aliado do governo Temer. “Se Temer sair a Câmara vai eleger um deputado. As dificuldades vão continuar. Os 14 milhões de desempregados é o que mais afeta o país. Em Sergipe, são cerca de 140 mil”, avalia.

 

Crise política 2

Para Machado, a situação está complicada no país. “Vemos hoje uma briga permanente do governo com a Procuradoria Geral da República e parte do Supremo [Tribunal Federal]. Isso é ruim. Temer sai ou fica? Se sair o que muda? Muda muito pouco”, acredita.

 

Crise política 3

“Acho difícil o Congresso Nacional aprovar uma saída de Temer do governo. Ele tem habilidade política, foi deputado federal e presidente da Câmara. Sabe manter entendimento com o Congresso, o que faltou a Dilma [Rousseff] e a Collor [Fernando]”, afirma o ex-deputado.

 

Crise política 4

Disse ainda que está na hora da classe política entender que o momento é pensar o Brasil, que vive um momento avassalador com 14 milhões de desempregados.  “Os responsáveis pela crise precisam tomar juízo. Ou saímos dessa crise ou até dezembro passaremos de 14 milhões para 16 milhões de desempregados”.  

 

Antecipação de feriados 1

A ideia de antecipar os feriados para as segundas-feiras é a primeira da pauta a ser analisada pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) na próxima terça-feira (20). De acordo com o Projeto de Lei do Senado (PLS) 389/2016, que tem esse objetivo, feriados cujas datas caírem entre terça e sexta-feira serão antecipados para as segundas.

 

Antecipação de feriados 2

A proposta, do senador Dário Berger (PMDB-SC), não afeta datas simbólicas como 1º de janeiro, 1º de maio, 7 de setembro e 12 de outubro, nem o Natal, o Carnaval, o Corpus Christi e a Sexta-feira Santa. A medida também não valerá para os feriados que caírem aos sábados e domingos. O parecer do relator Hélio José (PMDB-DF) é favorável à aprovação da proposta, que será votada em caráter terminativo.

 

Cobrança geral

Do senador Valadares: “A Operação Antidesmonte, por mais bem intencionada que seja pela amplitude de suas investigações, quando alcançará a punição dos culpados?”. Essa resposta toda a sociedade quer saber.

 

Veja essa...

Do senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que depois de um período de silêncio nas redes sociais voltou a alfinetar o adversário Edvaldo Nogueira: “O secretário da Saúde de Aracaju pede demissão, aponta caos e denuncia erros que jamais assumiria”. Alfinetou ainda: “Se Edvaldo tivesse recusado nomear CC's para cabos eleitorais e para atrair apoio político na Câmara teria dinheiro de sobra para o forró-Caju”.

 

CURTAS

 

O deputado federal Fábio Reis (PMDB), vice-líder do partido na Câmara dos Deputados, garantiu, junto ao ministro do Turismo, Marx Beltrão, a liberação de recursos financeiros na ordem de R$ 120 mil para a realização do Forró Siri, a festa mais tradicional do município de Nossa Senhora do Socorro.

 

Para o deputado Fábio Reis, o Forró Siri é um importante evento do município, que atrai não só a população de Sergipe, mas também dos estados vizinhos. “Fico muito feliz em conseguir contribuir com a realização deste grande e importante evento para Socorro”, comemora.

 

Começou ontem o “São João Antecipado” de Pirambú, tendo como atrações Forró dos Vips, Farra do Barão, Unha Pintada e Samyra Show. O prefeito Elinho Martins (PSC), recebeu ontem muitas lideranças políticas em seu camarote. A festa no município prosseguirá até esse domingo.

 

Domingos Paschoal e Carlos Pinna, da Academia Sergipana de Letras (ASL), receberam uma comitiva de intelectuais de São Cristóvão liderada pelo historiador e poeta Thiago Fragata. Trataram dos últimos detalhes da criação da Academia Sancristovense de Letras (ASANL).

Nas redes sociais, os nomes especulados para a Secretaria Municipal de Saúde: o do presidente da Funcaju, Silvio Santos, e o secretário municipal de Nossa Senhora do Socorro, Enok Ribeiro da Silva, que seria uma indicação do PRB do ex-deputado Heleno Silva. Não deve ser nenhum dos dois.