Sergipe registra saldo negativo 133 empregos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 23/06/2017 às 00:01:00

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), indicou que, no mês de maio deste ano, houve saldo negativo de 133 empregos formais no estado. O saldo é fruto da diferença entre admissões (6.695) e desligamentos (6.828) no período. No acumulado do ano, Sergipe já contabiliza 6.449 empregos a menos, nos primeiros cinco meses do ano.

Praticamente todos os setores apresentaram saldos negativos, no mês de maio, as exceções foram a Administração Pública, que gerou 15 novos empregos, e o setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública (grupo que inclui as empresas responsáveis pela distribuição de serviços essenciais, como água e energia elétrica), que gerou 463 novos postos de trabalho.

Já o pior desempenho foi observado no setor da Construção Civil, com a redução de 312 postos de trabalho. A maior redução de empregos ocorreu na área de construção de edifício. A Indústria de Transformação também apresentou saldo negativo, com redução de 125 vagas de emprego. A principal redução foi observada nas indústrias de fabricação de álcool, que contabilizou redução de 137 empregos.

O setor da Agropecuária, contabilizou 87 vagas a menos, principalmente no cultivo de cana-de-açúcar. Os setores de Extração Mineral e de Serviços também apresentaram saldo negativo, ambas com redução de 30 vagas de emprego, no mês em análise. Já no Comércio a redução ficou em 27 empregos.

 

Emprego nos municípios - Entre os municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes, no mês de maio de 2017, os municípios de São Cristóvão e Itabaiana contabilizaram os saldos negativos mais significativos, com redução de 110 e 55 postos de trabalho, respectivamente. Em São Cristóvão a Construção Civil e a Indústria de Transformação apresentaram as maiores reduções de emprego, já em Itabaiana, o Setor de Serviços foi o principal responsável pelo saldo negativo.

Com saldo positivo, gerando 126 empregos, aparece a cidade de Aracaju, resultante do bom resultado do setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública. Os municípios de Lagarto e Poço Redondo geraram 86 e 82 novos empregos, influenciados pelo bom desempenho da Construção e do setor de Serviços, respectivamente.