Vereadores de Rosário afirmam que fizeram seu papel durante o 1º semestre

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/06/2017 às 00:22:00

Os vereadores de Rosário do Catete encerram as atividades do semestre aprovando Projetos de Leis (PLs) que visam trazer melhorais para a população do município. Nas duas últimas sessões – dias 14 e 21 de junho – os parlamentares analisaram, questionaram e viabilizaram as condições necessárias para que o prefeito Vino Barreto (DEM) pudesse resolver problemas sérios que a comunidade vem enfrentando principalmente na área de assistencialismo.

Os PLs favoreceram Programas Sociais como Boa Mesa, Programa de Auxílio a Pessoas com Deficiência ou Doença Incapacitante (Proadin), Programa de Inclusão Social (PIS), entre outros que atendem as famílias carentes da Comunidade.  Na última sessão o foco caiu para os PLs nº13/2017 e 04/2017 que preveem auxilio para as quadrilhas juninas do município e remanejamento no Orçamento Anual da Prefeitura através da Lei Orçamentária Anual (LOA), respectivamente.

Para Oposição de Rosário Catete, a conduta tomada pela Casa mostra o comprometimento dos vereadores com o bem estar da população. “Estamos fazendo a nossa parte. Resta o prefeito Vino querer trabalhar e fazer a sua cumprindo com o que rege a Lei. Em nenhum momento, nesse primeiro semestre, agimos de má fé para prejudicar a gestão municipal. O prefeito precisa ter o compromisso e a honradez de cumprir o seu papel de gestor e trabalhar para o povo”, destacou o líder do grupo, Professor Alex (PT).

O argumento foi refossado pelo seu colega da bancada, Elton Lima (PSC), que apontou a apatia de Vino como um dos principais empecilhos enfrentados pelo município. “Agimos e fizemos o nosso papel de parlamentar, que é de cobrar, analisar e averiguar o que está certo ou errado. Não podemos abaixar a cabeça para algo que venha prejudicar o povo. E a prova está aí, com a aprovação de vários projetos nesses últimos dias que provam o nosso comprometimento com a população de Rosário do Catete”, afirmou o vereador.

A presidente da Casa, Amélia Resende (PSC), lembrou dos debates e da presença da comunidade na Câmara de Rosário. “Foi um semestre de muito trabalho onde tivemos eventos e também abrimos a Casa para que o povo pudesse cobrar os seus diretos à Prefeitura, como os ex-funcionários da empresa Estrela, que cobraram suas recisões que ainda não foram pagas. Eles tiveram nosso total apoio. Também reivindicamos mais comprometimento com os programas sociais do município, onde o prefeito prometeu e até o memento também não atendeu os anseios da população”, lembrou a vereadora.