Forró tatuado no braço

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/06/2017 às 07:23:00

Rian Santos - riansantos@jornaldodiase.com.br

 

Silvério Pessoa tem a palavra forró tatuada no braço. Não resume a discografia do pernambucano, aberta a influências diversas, mas oferece uma pista a respeito da relação mantida com a cultura popular nordestina. Quando se lançou ao mundo, à frente da banda Cascabulho, o cantor e compositor já se apresentava como produto das brenhas do interior, um orgulhoso filho de Carmina.

 

De lá pra cá, muito pouco mudou. Desde o seu primeiro disco solo, ‘Bate o Mancá – O povo dos canaviais’ (2000), dedicado ao cancioneiro do mestre Jacinto Silva, é a vida e os hábitos dos seus que lhe animam o fole. O último lançamento, dedicado a Jackson do Pandeiro, outro mestre indiscutível, segue na mesma pegada.

 

Um dia depois do outro, lá se vão mais de quinze anos. Nesse intervalo, Silvério não parou de produzir, sempre fiel aos próprios propósitos artísticos, como atesta o festejado ‘No Grau’ (2011), no qual amplia o universo da tradição nordestina e investe em uma atmosfera contemporânea, explorando uma batida mais pop, e o anterior ‘Cabeça elétrica, coração acústico’ (2004), que lhe rendeu o prêmio TIM de Melhor Cantor Regional. Dois pontos altos de uma discografia sem nenhum lapso.

 

Cabeça feita – Ressignificação da tradição, com fidelidade à sonoridade e à estética do cantor e compositor Jackson do Pandeiro. ‘Cabeça Feita’ (2015), o disco mais recente de Silvério, é resultado do envolvimento pessoal e afetivo com a obra de seu mestre.

 

Produzido pelo próprio Silvério mais Renato Bandeira (Spok Frevo Orquestra), o disco compila sambas, rojões, xotes, forrós e cocos do paraibano, considerado o Rei do Ritmo, e mergulha fundo na atmosfera das gravações originais de Jackson do Pandeiro. A leitura de Silvério valoriza as melodias, o jeito elástico de escandir os versos, a ironia, o humor, numa interpretação instigada, de discípulo dedicado.

 

Silvério Pessoa

O cabeça feita Silvério Pessoa

Divulgação

 

 

Confira a programação do Arraiá do Povo:

 

Dia 28 De Junho – Quarta

 

Palco Clemilda

19:00 Santana Forró Baião Da Penha 
21:00 Quadrilha Poeirinha Do Sertão 
21:30 Silvério Pessoa
23:30 Banda Xotebaião 
01:30 Trio Virgulino 

 

Corêto Ari Soares

19:00 Caceteiras Do Mestre Rindu 
20:00 Raulzinho Do Acordeon 
22:00 Luiz Rodrigues Retalhos Nordertinos 

 

Dia 29 De Junho – Quinta

 

Palco Clemilda

19:00 Glauber Do Acordeon 
21:00 Quadrilha Meu Sertão 
21:30 Joésia Ramos 
23:30 Maciel Salú
01:30 Zé Tramela 

 

Corêto Ari Soares


19:00 Vem Vem Do Nordeste E João Bezerra 
20:00 Odir Caius 
22:00 Cassiano Do Forró 

 

Dia 30 De Junho – Sexta

 

Palco Clemilda

19:00 Quadrilha Assum Preto 
19:30 Edson Costa E Banda Galope D Viola 
21:30 Lourinho Do Acordeon 
23:30 Erivaldo De Carira 
01:30 Nando Cordel 

 

Corêto Ari Soares

19:00 Zé Americo Do Campo Do Brito 
21:00 Os Bobinhos Do Forró
23:00 Bebero Da Paraíba