Novo Terminal Pesqueiro vai beneficiar pescadores e consumidores locais

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Operários trabalham na conclusão do Terminal Pesqueiro. Foto: Divulgação
Operários trabalham na conclusão do Terminal Pesqueiro. Foto: Divulgação

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 01/07/2017 às 00:01:00

Após doze dias de viagem, seu José Gonçalves, pescador há 30 anos, desembarca o que chamou de “boa pescaria” no antigo entreposto de Aracaju, às margens do rio Sergipe, na Av. Otoniel Dória, em frente aos mercados.  Feliz com a produção, mas ao mesmo tempo preocupado em distribuir logo o produto, pois teme que estrague, José Gonçalves contempla a movimentação ao lado, do canteiro de obras do novo Terminal Pesqueiro. “Esse terminal é importante demais, vai ajudar muita gente a valorizar sua mercadoria”, observa.

Quem vive da pesca, como José Gonçalves, sabe o valor de um local com estrutura adequada para receber e vender sua mercadoria. “Isso valoriza nosso peixe. Com o novo terminal pesqueiro, ao invés de vender para o atravessador, vamos vender direto ao cliente, com higiene e melhor preço”, explica.

É o que também espera o presidente da Colônia de Pescadores de Aracaju Z-1, Adenilton Bezerra Rodrigues.   Para ele, o setor pesqueiro sergipano está para dar um passo importante, com a construção do terminal, principalmente na área de beneficiamento. “Melhorando a qualidade, podemos buscar novos compradores, inclusive em outros estados”, afirma.

De acordo com o presidente da Colônia de Pescadores de Nossa Senhora do Socorro, Francisco dos Santos, hoje, o pescador perde em média 50% do seu lucro para o atravessador. “O pescador só pena, mas lucro mesmo vai pros outros”, reclama. 

O novo terminal pesqueiro de Aracaju, construído pelo governo do Estado, com recursos do governo Federal, tem capacidade para atender a cerca de 12mil pescadores de 27 colônias. Um investimento de R$14 milhões e deverá dar suporte logístico não só a Aracaju como o interior do estado.

Para algumas colônias de pescadores, como a do município de Laranjeiras, por exemplo, o novo centro pesqueiro será uma alternativa para vender a produção excedente. É que apesar de contarem com um entreposto recém-inaugurado, há períodos em que os pescadores têm dificuldades de escoar toda a produção. “Nós contamos com mais de 350 embarcações. Abastecemos nossa comunidade, mandamos para algumas feiras livres... mas, esse ano, por exemplo, teve muito peixe, e tivemos dificuldade de distribuir. Acabamos vendendo a preço muito baixo para não perder. Com o novo terminal, poderemos mandar pra lá”, explica.

 

Novos investimentos - O Terminal Pesqueiro Público de Aracaju abrange uma área de 1.256,22m², cais com 632 m² e espaços refrigerados. Mas os benefícios vão além da obra física. O secretário estadual da Agricultura, Esmeraldo Leal, disse que além do suporte logístico para o pescador, também será um local de atração de turistas e novos investimentos.

“Com o selo emitido pelo terminal, responsável pela triagem que vai conferir qualidade ao pescado, tanto o consumidor local como o turista terão mais segurança no produto que estão levando”, disse o secretário, e completa que vale também para novos investidores, como supermercados, atacadões até mesmo de fora do estado.

De acordo ainda com o secretário da Agricultura, o governo busca parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS) e outras entidades, para fazer um levantamento de dados e um diagnóstico do setor pesqueiro, para um maior controle da produção no estado. A parceria também deverá promover cursos de capacitação, como de manuseio e de armazenamento, com o objetivo de melhorar a qualidade do produto.

Segundo Esmeraldo Leal, a ideia é beneficiar principalmente o pescador e o consumidor locais, mas destaca que o Governo pretende transformar o novo terminal pesqueiro num local atrativo também para o turista.