Polícia procura responsáveis por carga de cigarros paraguaios

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 01/07/2017 às 00:12:00

A Polícia Federal deve abrir um inquérito nos próximos dias para tentar descobrir quem são os responsáveis por uma carga de 430 mil cigarros contrabandeados do Paraguai. Ela foi apreendida nesta quinta-feira por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), que faziam uma blitz no quilômetro 150 da BR-101, em Estância (Sul). A mercadoria é avaliada em quase R$ 2 milhões e estava em um caminhão bi-trem com placas de Araguari (MG). O motorista fugiu do local, mas alguns documentos foram encontrados pelos policiais e ainda são investigados.

O veículo foi abordado em uma situação de rotina por uma viatura da Sefaz para verificação da documentação da carga. Logo após parar a carreta, o condutor evadiu-se do local por meio de um matagal próximo, abandonando a carga e o caminhão. Ao vistoriarem o veículo, foi encontrada uma nota fiscal da mercadoria transportada indicando o Estado do Mato Grosso como sendo a origem da carga, porém sem indicação do Estado de destino. No documento constava o transporte de arroz com casca, mas ao verificarem a carroceria os auditores da Sefaz se depararam com caixas de cigarros ilegais.

Devido ao tipo da ocorrência, foi solicitado o apoio da PRF, que despachou a carga para a Receita Federal. Esta, por sua vez, deve providenciar a incineração dos cigarros. Na sede da Central de Comandos da Sefaz, na entrada de Aracaju, para onde a carreta foi levada, foi feita uma avaliação preliminar da carga. Ela indicou a presença de aproximadamente 430 mil maços de cigarros fabricados no Paraguai, que não têm autorização legal para comercialização no Brasil, o que configura crime de contrabando. A suspeita é de que os cigarros seriam distribuídos em Sergipe e outros estados do Nordeste, nos quais seriam revendidos clandestinamente e a preços abaixo do mercado.