Requião defende em Aracaju projeto de desenvolvimento nacional

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O senador Requião durante entrevista coletiva. Foto: Divulgação
O senador Requião durante entrevista coletiva. Foto: Divulgação

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/07/2017 às 00:44:00

Em Aracaju, nesta sexta-feira (14), o senador Roberto Requião (PMDB-PR) conversou com a imprensa local sobre a política atual do país e defendeu a necessidade de uma frente ampla que sai em defesa de um projeto nacional de desenvolvimento. “Precisamos construir uma frente de defesa da soberania nacional, contra a exploração do trabalhador e que seja capaz de estimular a consciência política do povo brasileiro”, defendeu.

A coletiva de imprensa foi organizada pela Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe (FEEB) e Sindicato dos Bancários de Sergipe. (SEEB/SE). A entrevista foi conduzida pelos presidentes da FEEB e do SEEB/SE, respectivamente, Ivânia Pereira e Emanoel de Jesus.

Requião é convidado da categoria para abrir neste sábado(15) a 19ª Conferência Interestadual dos Bancários da Bahia e Sergipe, que tem o tema “Resistir aos ataques contra os nossos direitos”. O evento acontecerá no Delmar Hotel, localizado na Orla da Atalaia.

Respondendo aos jornalistas e radialistas, o também dirigente do PMDB no Paraná, Requião fez várias declarações de oposição ao governo de Michel Temer (PMDB), criticou severamente a aprovação da reforma trabalhista. Ainda segundo o senador há seletividade na Lava Jato. “A impressão que eu tenho é que a condenação do ex-presidente Lula e o lançamento do filme sobre a Lava Jato estão sendo divulgados para distrair a população do enorme retrocesso das prerrogativas trabalhistas no país”, pontuou.

“Para mim, o Temer não é o presidente da República. Quem manda no Brasil hoje é o Itaú, o Bradesco, o Santander, o ministro da Fazenda e o presidente do Banco Central. Quem manda é a banca”.