O futuro do Brasil depende sempre de Lula

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/07/2017 às 07:42:00

Emir Sader

 

A direita engendrou o golpe e não sabe o que fazer com ele. A esquerda produziu Lula e a direita não sabe o que fazer com ele.

A direita não sabe se tenta seguir com o Temer ou se encara a delicada operação de substituí-lo. Muitos setores da direita j´ consideram Temer um cadáver político, mas seu mal cheiro não tem sido suficiente para que se gere uma nova unidade entre os golpistas para substituí-lo.

Com Lula também a direita não sabe o que fazer. Por tentar condená-lo, com o risco de torná-lo ainda mais popular e objeto do apoio popular, como vítima do que de pior tem o país. E com o risco de não conseguir manter a condenação e o tiro sair pela culatra da pior maneira possível para a direita. Ou ter que encarar Lula como candidato e ter todas as possibilidades de perder.

Porque uma figura como Lula não se elimina assim, como a direita gostaria, magicamente, através da penada de um juizeco de quinta categoria. Lula já está inscrito, definitivamente, na história do Brasil, como seu presidente mais popular, mais importante, de mais transcendência na vida de todos os brasileiros. Lula está definitivamente presente na memória das pessoas, que o têm como referencia fundamental. Lula é o mais importante líder político da esquerda contemporânea em escala mundial.

Qualquer que seja o desenlace jurídico dos processos contra Lula, ele continuará a ser o personagem decisivo para o futuro do Brasil. Seja como candidato e como presidente de novo, seja como dirigente fundamental para as lutas futuras sobre o futuro do país. Nada de importante acontecerá no Brasil sem a presença e a posição determinantes de Lula, de tal forma sua imagem é onipresente.

A direita, incomodada, sempre terá que se referir a ele, como seu grande inimigo. A esquerda, como seu líder fundamental. A mídia, como a figura mais conhecida e reconhecida do Brasil. O povo, porque tem nele sua esperança e a confiança de voltar a conquistar seus direitos e sua auto-estima.

A história do Brasil segue e Lula terá sempre um papel fundamental nela. Se candidato, tem todas as possibilidades de ganhar e, como diz, ele fazer mais e melhor em relação a tudo o que ele já fez. Se impedido de ser candidato, decidir como as forcas democráticas têm que encarar o cenário futuro do país.

Não se pode prender a esperança, não se pode condenar a vontade do povo de voltar a retomar o caminho das transformações democráticas do Brasil. A história não cabe numa sentença arbitrária de um fantoche da direita e do império. O destino do Brasil não cabe nas campanhas da mídia oligárquica.

Lula e a esquerda são resultado das lutas de todo o povo pelos seus direitos. A miséria, a pobreza, a fome, a desigualdade, a exclusão social, produzidos pela direita ao longo dos séculos, que fizeram do Brasil o país mais desigual do continente mais desigual do mundo, produziram também a luta pela justiça social e pelos direitos de todos, a liderança de Lula e a esquerda brasileira.

Por mais que tentem desqualificar a figura de Lula, por mais que tentem condená-lo, mesmo sem provas, a influência, a capacidade de convencimento de Lula com os brasileiros só aumenta, conforme o golpe tenta desfazer tudo o que de bom os governos do PT fizeram. Hoje a grande maioria dos brasileiros já considera, de novo, a questão social, como a mais importante do Brasil. A rejeição do pacote cruel de projetos do golpe é amplamente majoritária e, com ela, o incremento do apoio a Lula, como contraposição ao que o povo tem perdido.

A ilusão de que juridicamente podem abolir a imagem de Lula da cabeça das pessoas e o próprio Lula como líder político e de massas da historia do Brasil é isso – uma ilusão da direita. O papel suporta qualquer acusação sem provas, mas a vida real é outra coisa. O país real se faz com consciência política, com luta pelos direitos sociais e pela democracia. E nela Lula tem o lugar fundamental na historia passada, presente e futura do Brasil.

 

Colunista do 247, Emir Sader é um dos principais sociólogos e cientistas políticos brasileiros.