Rogério condena MP que altera carga horária dos médicos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/06/2012 às 10:44:00

Em pronunciamento na Câmara Federal, o deputado Rogério Carvalho (PT) fez críticas à MP 568 que traz em seu bojo uma série de disposições sobre gratificações e adicionais de diversas categorias do serviço público federal. Dispõe ainda sobre carreiras, cargos e planos de cargos do Poder Executivo Federal, das mais variadas, que compõem a estrutura administrativa do país.
"Manifestei desde logo minha insatisfação com a Medida Provisória 568/2012, por entender que, da forma que foi elaborada, criaria imensas dificuldades para o Sistema Único de Saúde, bem como desmotivaria, com razão, o ingresso na carreira de profissionais dedicados, o que promoveria um impacto extremamente nocivo à saúde pública brasileira", afirmou.
 "De nossa parte, prestamos irrestrito apoio e solidariedade, mantivemos o diálogo e interlocução com o Governo em prol da sociedade e dos servidores, por entender que as categorias de saúde, dentre elas a categoria médica, são o elemento fundamental para o pleno funcionamento do Sistema Único de Saúde que estamos construindo desde a promulgação da Constituição Federal de 1988", acrescentou.
Segundo Rogério, a presidenta Dilma Rousseff, a ministra Ideli Salvatti  e as lideranças  do Partido dos Trabalhadores foram sensíveis à problemática da saúde pública brasileira e demonstraram o compromisso que o Governo tem com a sociedade, primeiro, ao reconhecer o erro, segundo, ao restabelecer as condições e apontar soluções futuras para o equacionamento da situação dos servidores da saúde e demais setores da administração pública brasileira.