Belivaldo conhece trabalho desenvolvido pela Fazenda da Esperança

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/07/2017 às 00:21:00

O governador em exercício Belivaldo Chagas visitou  a Fazenda da Esperança São Miguel, no município sergipano de Lagarto, para conhecer os trabalhos realizados no local. A Fazenda da Esperança é uma comunidade terapêutica com mais de 30 anos de experiência na recuperação de jovens e adultos dependentes químicos. Em Sergipe, já são 27 anos de história.

“Fiz questão de conhecer de perto as ações da Fazenda Esperança. Fiquei impressionado com os depoimentos das pessoas acolhidas aqui. Quis conhecer melhor esse trabalho para avaliar o que podemos fazer para ajudar essas pessoas que buscam a recuperação. Resolvi que precisava vir para sentir o que é feito aqui. O governo do Estado já ajuda esse espaço por meio de convênios, mas queremos ver de que forma podemos melhorar esse auxílio. A Fazenda tem um modelo que tem dado certo nesses quase 30 anos. Vamos passar um relatório para o governador Jackson Barreto para que ele conheça mais sobre o trabalhos realizado aqui. Vim hoje fazer essa visita não só como governador, mas como cidadão. E estou feliz por ter tido essa oportunidade”, declarou Belivaldo.

Já são 130 unidades da Fazenda Esperança espalhadas pelo mundo, cerca de 70 no Brasil. Em Sergipe, além da São Miguel, que atende usuários do sexo masculino, há a unidade feminina Fazenda Santa Francisca Romana, também em Lagarto, e a Fazenda Santa Rita (masculina), em Gararu. Segundo o coordenador regional das fazendas, Maurício Bovo a instituição sustenta-se pelo tripé: trabalho, convivência e espiritualidade e depende, sobretudo, do voluntariado.

Maurício, que no passado foi acolhido por uma das unidades da Fazenda Esperança e conseguiu se recuperar, deixou o emprego que tinha em um grande banco para dedicar-se ao trabalho na comunidade. “No Brasil, de 20 e 30 mil pessoas já passaram pelas fazendas. Atualmente elas acolhem mais de 1.000 pessoas em 17 países. Ela se espalhou através da gratuidade daqueles que se recuperam. Porque quem se recupera muitas vezes permanece em uma dessas unidades e trabalha para receber os outros. É um trabalho que se multiplica. Como no meu caso, que fui um dia acolhido na fazenda. Alguém me estendeu a mão e graças a Deus consegui a minha recuperação. Depois sentir que não deveria guardar isso só pra mim, foi o que me motivou a voltar à fazenda, porque se as pessoas fossem egoístas eu não teria espaço nas fazendas um dia. Eu pude ser acolhido porque houve pessoas que renunciaram a tudo lá fora para estar na fazenda e me acolher e isso me motivou a voltar. Sentia que minha vida não era mais minha, precisava repassar isso para outros”, relatou.

A visita do governador em exercício à Fazenda foi acompanhada pelo deputado federal Fábio Reis; deputada estadual Goretti Reis; secretários de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos, José Sobral, da Segurança Pública, João Eloy, interina da Casa Civil, Conceição Vieira, da Comunicação Social, Sales Neto e da Justiça, Cristiano Barreto. Assim como do superintendente executivo da Secretaria de Estado da Saúde, Luís Eduardo e do diretor-presidente da Fundação Renascer, Wellington Mangueira e assessores do Estado.