Circo é tema de exposição fotográfica no Mirante da 13 de Julho

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/09/2012 às 11:38:00

Foi aberta na noite desta quinta-feira, 30, no Mirante da 13 de Julho, unidade da Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju), a exposição fotográfica "Circo - A arte por trás da lona". Essa é uma iniciativa do fotógrafo e professor Daniel Barboza, que expõe pela primeira vez cerca de 50 imagens produzidas pelos seus mais de 30 alunos em visita a circos do Estado.

Foram mais de dois meses acompanhando a vida em cima e por trás do picadeiro dos circos Gold Star e Londres, que encantaram e ainda encantam diversas pessoas por toda a Grande Aracaju. No entanto, além do brilho presente nos números de mágica, acrobacias e palhaçaria, também foram registradas as dificuldades enfrentadas por esses artistas, que lutam há gerações para não deixar que a tradição dos pequenos circos desapareça.

"Tive a ideia de fotografar o circo quando assisti uma apresentação durante um casamento. Mas, como eu tava dando aulas e queria inserir os alunos nesse projeto, passei a abranger as fotografias para a vida nos bastidores, a vida desses artistas fora do palco. O primeiro circo que abriu suas portas foi o Londres, que nos permitiu entrar em seu cotidiano e em seus aposentos. Eu posso dizer que essa experiência nos tornou mais humanos e nos fez ver que esses são artistas duas vezes: para o público e para sobreviver", relata o professor Daniel Barboza.

Para o senhor Francis, conhecido há 34 anos como o 'Palhaço Gasolina' essa foi uma experiência, no mínimo, diferente. "A gente não tem um lugar fixo para morar. Moramos onde o circo estiver e quando estávamos no Mosqueiro, o Daniel chegou até nós e disse que queria fotografar a nossa vida. No começo estranhei, mas depois a gente foi se acostumando e eles foram ficando quase da família. Hoje somos bons amigos", revela o artista, que vive há mais de 50 anos do circo Londres, do qual também é o dono.