Oferta de crédito registra leve crescimento no Nordeste

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/08/2017 às 00:34:00

O volume de operações de crédito do sistema financeiro atingiu, no Nordeste, saldo de R$ 398,6 bilhões no mês de junho. O valor indica crescimento de 0,2% no primeiro semestre de 2017, na comparação com dezembro de 2016. Em paralelo, o saldo nacional registrou recuo de 0,9%, ao somar R$ 3,07 trilhões. No balanço de doze meses, quatro Estados nordestinos apresentaram resultados positivos, com destaque regional para operações com pessoas físicas.

A expansão do crédito para as famílias tem contribuído para amortecer a queda nas operações com pessoas jurídicas na Região. O incremento é de 5% em doze meses e, no primeiro semestre, de 2,6%. Desse modo, o saldo de operações destinadas a pessoas físicas no Nordeste representa quase dois terços do total (62,4%), frente a 37,6% do crédito repassado a empresas.

Para o setor empresarial nordestino, os recursos direcionados principalmente à produção (investimentos e capital de giro) atingiram R$ 150,1 bilhões em junho. O saldo de operações para pessoas jurídicas registrou redução de 7,7% em doze meses e, no primeiro semestre, de 3,6%.

O saldo de operações de crédito cresceu nos Estados do Piauí (+3,8%), Ceará (3,4%), Alagoas (+2,3%) e Paraíba (+1,4%). Por outro lado, o Estado da Bahia, responsável pelo maior volume de crédito do Nordeste, registrou a maior retração da Região (-2,3%) em doze meses.

 

Sergipe - Empresas e pessoas físicas, em Sergipe, registraram saldo de R$ 18 bilhões por meio de operações de crédito em junho. Na comparação acumulada dos últimos doze meses, o volume destinado apresenta recuo de 1,8%. Outros Estados registram retração superior, como Rio Grande do Norte e Bahia, ambos com retração de 2,3%.

Contudo, quando se analisa o resultado do ano de 2017, verifica-se avanço de 1,2% nas operações de crédito em Sergipe, que demonstra resultado superior ao do Nordeste, além de sinalizar retomada do crédito no Estado. O crédito para pessoa física, que avançou 2,4% no primeiro semestre de 2017, contribui para o resultado positivo. As pessoas jurídicas em Sergipe observaram redução do montante de crédito em 1,9%.

O levantamento é do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), do Banco do Nordeste, com base em dados do Banco Central e Ministério da Fazenda. A pesquisa detalhada está disponível para consulta no Diário Econômico do Etene, em https://www.bnb.gov.br/diario-economico-2017.