Arrecadação do município de Itaporanga D’Ajuda cai em cerca de 50%

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/08/2017 às 00:37:00

Em avaliação feita pelas Secretarias Municipais de Administração Geral e Economia e Finanças, a Prefeitura de Itaporanga D’Ajuda teve uma queda na arrecadação de aproximadamente 50% em comparativo do período de janeiro a junho de 2016 e 2017.

O prefeito Otávio Sobral diz que é um desafio administrar a cidade com uma queda de arrecadação tão drástica. “Estamos enfrentando um desafio gigantesco, pois é 50% a menos na receita e uma gama de fatores que aumentam as despesas, é o caso do aumento do salário mínimo e do piso dos professores. Então estamos trabalhando para regularizar a questão do limite prudencial, cumprir com os pagamentos dos servidores, continuar trabalhando em ações que beneficiem a população e com metade da receita em relação ao ano passado”, afirma o gestor municipal.

A Secretaria de Administração realizou balanço financeiro do período de janeiro a junho do decorrente ano, visando verificar a situação do município e quais as medidas devem ser adotadas para que a Administração cumpra o limite prudencial de gasto com pessoal de 54%, exigido pela Lei Complementar nº 101, de 04 de maio de 200, da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O secretário Edwelton Gois explica que em 2016 o município já estava em situação de alerta, estando com a Folha de Pagamento no limite estabelecido pelo TCE.

O secretário de Economia e Finanças, Sérgio Melo, destaca que o município perdeu mais de 50% de arrecadação de acordo com a receita estimada. “O município arrecadou 49% a menos que o ano passado, fazendo a comparação de janeiro a junho. Com relação ao estimado de receita, seriam 51% a menos. Porém nessa contagem não foi incluído os descontos dos débitos previdenciários, que chega a aproximadamente R$2 milhões. Além dos precatórios de 2015 e 2016 que o município está arcando, no valor de R$ 102 mil mensal”, destaca, Melo.