Máquina de radioterapia continua quebrada

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/08/2017 às 00:04:00

Milton Alves Júnior

 

Mais de 40 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), em Sergipe, seguem sofrendo sem as sessões de radioterapia ofertadas pela Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia. Desde o último dia 21 de julho um vazamento na tubulação do sistema de resfriamento da máquina tem contribuído para que o quadro clínico destes pacientes apresente retrocesso em virtude da precariedade do sistema. No último dia 02 de agosto técnicos de Minas Gerais chegaram a Aracaju para iniciar o processo de manutenção, não houve avanço.

Segundo informações da unidade hospitalar, parte dos cabos que estão com algum tipo de defeito não está disponível no Brasil, e, por este motivo, uma comissão de técnicos terá que ir até os Estados Unidos para comprar o material e aguardar pela entrega. Esse procedimento deve durar por pelo menos mais 12 dias a contar de ontem. Este equipamento possui 30 anos de funcionamento na unidade e apenas recebe manutenção geral quando para de funcionar. Para a direção do Grupo Mulheres do Peito, este tipo de problema apenas segue se repetindo em virtude da incompetência administrativa de muitos gestores públicos, os quais apenas se mostram preocupados com a população durante o período eleitoral.

Atualmente apenas o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), possui equipamentos em funcionamento na rede pública; por lá a fila de espera por sessões segue grande e incapaz de acolher os pacientes do HC. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, atualmente Sergipe possui apenas duas máquinas de radioterapia sendo oferecidas aos pacientes do SUS. O Estado e a Prefeitura de Aracaju possuem também convênios com clínicas particulares gabaritadas a realizar este tipo e serviço, porém, igualmente às unidades estatais, seguem com a rotina de sessões no limite da compatibilidade operacional.