Trio sergipano apita Criciúma - SC X Juventude - RS

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/09/2017 às 07:46:00

Os árbitros sergipanos Claudio Francisco Lima e Silva Thayslane Melo participaram na cidade de Aguas de Lindoia do Curso de preparação para árbitros da Fifa. Neste final de semana o trio chefiado por Claudio Francisco foi escalado para dirigir no Heriberto Hulse a partida entre Criciuma – SC e Juventude-RS.

O árbitro central será      Claudio Francisco Lima E Silva - SE (CBF). Os assistentes são      Cleriston Clay Barreto Rios - SE (CBF) e Vaneide Vieira de Gois - SE (CBF). O quarto árbitro  será Fernando Henrique de Medeiros Miranda - SC (CBF).

Claudio fala sobre o que ele espera a partir de agora e os seus objetivos na carreira. “Ter foco é fundamental para quem quer alcançar um objetivo. Quando estamos empenhados em algo, conseguimos fazer coisas que nunca pensamos que seria possível”.

O árbitro Cláudio Francisco Lima e Silva, da Federação Sergipana, iniciou esta temporada de 2017 pesando 113kg. Na busca pela evolução no ofício, ele resolveu melhorar a alimentação, aumentar o ritmo de exercícios e viu pouco mais de 13kg evaporarem.  O objetivo dele agora é manter o bom momento para chegar ao quadro da FIFA. Cláudio sabe que, para isso, é importante continuar com a parte física em dia. 

– Para se enquadrar no processo, o físico é muito importante, precisamos fazer essa leitura. O árbitro tem de acompanhar bem esse processo, buscar o melhor posicionamento, ângulo, e é necessário que a gente se readéque aos critérios para, aí sim, buscar dar o próximo passo – afirma.

Participando do 14º Curso RAP-FIFA, em Águas de Lindóia (SP), o representante do Estado de Sergipe fez um balanço das atividades que estão sendo desenvolvidas pela elite da arbitragem. A ideia de Cláudio Francisco Lima e Silva é aproveitar ao máximo o que está sendo passado pelos instrutores.

– É um orgulho muito grande fazer parte deste processo, é um motivo de alegria, trazer o meu estado para estar concorrendo a uma vaga na FIFA. Aproveitar ao máximo o conhecimento que estão nos apresentando, estar com amigos... E como tão difícil é se manter no topo da arbitragem nacional, a gente procura aproveitar ao máximo aqui para desempenha um bom papel dentro de campo e corresponder, que é o mais importante. Assimilar tudo o que for de mais importante para a evolução da minha carreira e entrar nos critérios para me tornar um árbitro moderno e, quem sabe um dia, figurar esse quadro (da FIFA) – finaliza.