JK, o presidente cigano

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/09/2017 às 07:49:00

Lelê Teles

 

Sim, era cigano JK.

Como também o era o ex-presidente Washington Luís.

Seus ascendentes, os de JK, migraram da Boêmia, no sul da finada Checoslováquia.

Como um bom cigano, Jusça gostava de música, de dança, de mulheres e de tomar umas cachacinhas.

Quando da construção de Brasília, o cerrado foi tomado por tendas e cabanas e virtuoses do chorinho brasileiro faziam a alegria do presidente cigano na residência oficial.

JK vivia de lá pra cá - Rio, Minas, Brasília - a bordo de um DC-10.

Inquieto e andarilho como os seus de origem.

Disso ninguém fala.

Juscelino construiu Brasília em menos de 4 anos, o que todos consideravam um absurdo irrealizável.

O sonho mudancista - de trazer a capital para o meio do nada, movimentando grandes levas de pessoas - para muitos era uma loucura, mas para o cigano era como voltar às origens do nomadismo.

Depois de construir uma moderníssima cidade em pleno cerrado brasileiro, de desenvolver nossa indústria automobilística, de construir duas grandes hidrelétricas, abrir mais de vinte mil km de rodovias e mais de 3 mil de ferrovias, JK foi assassinado pelos golpistas de sempre.

Aqueles que representam a vanguarda do atraso.

Os poetas Castro Alves e Cecília Meireles foram outros ilustres ciganos brasileiros.

Como também ciganos são os cantores e compositores Renato Teixeira, o gigante Benito di Paula e Wagner Tiso.

E o palhaço Carequinha.

JK ocultava sua origem, entende-se porque.

No verbete do dicionário Aurélio, os ciganos eram sinônimo de trapaceiros, talvez por causa de suas quiromantes e sua prática comercial.

Na Europa, criou-se diversos mitos para demonizá-los.

Chegaram a dizer, inclusive, que foram eles a fabricar os pregos com os quais Jesus foi pregado no madeiro.

Fake news é um barato antigo.

Os nazistas assassinaram 500 mil ciganos, na Europa remota se praticava tiro ao alvo contra eles.

Os ciganos são originários da Índia e, de lá, se espalharam pelo mundo.

Perseguidos desde o século XV, foram escravizados na Romênia e na Hungria.

Os ciganos não têm uma religião própria, o que os leva a praticar a religião dominante do lugar onde estão.

Vitor Hugo, Frederico Garcia Lorca, Pushkin, Gorki e Tolstói tinham ciganos como personagens de seus romances.

São também de origem cigana Azúcar Moreno, Charles Chaplin, Michael Caine e Elvis Presley.

Quando você tiver com os amigos e amigas tocando violão, em volta de uma fogueira, tomando uma cachacinha e celebrando a vida com alegria, lembre-se sempre deles.

Palavras sapienciais.

 

Lelê Teles é jornalista, publicitário e roteirista.